O presidente executivo do BPI não vê porque é que tem de haver uma mudança do perfil e até da pessoa que ocupa o cargo do governador do Banco de Portugal. Fernando Ulrich defendeu esta quarta-feira a continuidade de Carlos Costa na liderança do supervisor financeiro, lembrando os dossiês que estão por concluir: a venda do Novo Banco e o desenvolvimento da União Económica Bancária. O mandato do governador termina no final do primeiro semestre e o PS já propôs um modelo diferente de nomeação que passa pelo Parlamento.

Para o presidente do BPI, a renovação do mandato do atual governador, “é uma opção muito válida”, não comentando as críticas que a comissão parlamentar de inquérito ao BES feitas à atuação do regulador, porque ainda não leu todo o relatório final, aprovado esta quarta-feira.

Questionado sobre a nomeação do novo governador, o presidente do BPI lembra que o atual governador ainda pode fazer mais um mandato, concluindo que a “melhor solução pode ser a de continuidade”, lembrando também a experiência da atual equipa e do governador.