Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A nave espacial não-tripulada russa, sobre a qual se perdeu o controlo devido a uma falha quando foi colocada em órbita na semana passada, deverá cair na terra ente 07 e 11 de maio, dependendo das condições atmosféricas, segundo os responsáveis da agência espacial norte-americana, a NASA. Ainda não se sabe onde cairão os detritos da nave.

O cargueiro espacial russo foi lançado na semana passada a partir da base de Baikonur, no Cazaquistão, com quase três toneladas de mantimentos para a Estação Espacial Internacional, mas está em rotação fora de controlo devido a uma falha numa das suas antenas. Os seis astronautas da Estação Espacial Internacional não correm perigo e têm mantimentos para mais quatro meses, incluindo combustível para a Estação.

Esta segunda-feira, a NASA confirmou que a reentrada na atmosfera deverá acontecer entre 07 e 11 de maio, tal como já tinham avançado as autoridades russas, dependendo das condições atmosféricas. Grande parte do cargueiro deverá ser destruído com a entrada na atmosfera.

As partes da nave que resistirem à reentrada na atmosfera terrestre podem cair entre os 52 graus de latitude a sul e os 52 a norte, que compreende quase toda a região continental mundial, com exceção de uma parte do Alasca, nos EUA, da Sibéria e alguns países mais a norte, como a Noruega, Suécia e a Dinamarca.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ainda assim, diz a NASA, “é altamente improvável que seja uma ameaça para alguém”.

A Agência explicou também que as entradas descontroladas de naves espaciais ou detritos na atmosfera terrestre não são raras, e que normalmente as peças que caem no deserto, no mar ou outras zonas despovoadas.

“Nem uma pessoa ficou ferida alguma vez devido à reentrada de uma peça de um satélite ou partes de uma estação espacial em seis décadas de voos espaciais”, defendeu a NASA.