Cerca de 600 pessoas foram resgatadas este domingo de navios à deriva nas águas da Indonésia. Segundo a BBC, os passageiros, que seriam sobretudo do Bangladesh e muçulmanos Rohingya da Birmânia, encontravam-se em pelo menos dois navios que estariam sobrelotados.

A bordo dos navios encontravam-se bastantes mulheres e crianças. Os passageiros foram salvos este domingo por pescadores locais e transportados para a costa da província de Aceh na Indonésia.

Mianmar (ou Birmânia) não reconhece os Rohingya como cidadãos, tendo perseguido centenas de milhares nos últimos anos, levando-os a tentar fugir do país. A rota preferencial é via Tailândia, mas também pelo mar. Os muçulmanos Rohingya têm sido vítimas de violência sectária naquele país há vários anos.

Segundo as autoridades da Indonésia e organizações de ajuda humanitária, o grupo de 600 pessoas estaria no mar há cerca de uma semana. Segundo Steve Hamilton, da Organização Internacional para a Migração, os passageiros poderiam estar a tentar chegar à Malásia.

“As pessoas pensavam que eles estavam na Malásia, mas afinal estavam na Indonésia. Foram deixados para trás pelos contrabandistas”, afirmou.

Em dezembro do ano passado, a Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou uma resolução para obrigar o Mianmar a dar cidadania aos Rohingya, muitos dos quais são considerados como apátridas.