O ainda presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, que é candidato à sua própria sucessão e disputará o cargo com o espanhol Luis de Guindos, anunciou hoje na sua conta oficial de Twitter que iria propor aos ministros das Finanças da zona euro o adiamento da eleição, já que “a Grécia requer toda a atenção”.

Um alto responsável do Eurogrupo indicou que a eleição de presidente já foi retirada da agenda do encontro do Luxemburgo – que será dominado pelo impasse em torno do programa de assistência à Grécia -, e reagendada para a reunião do Eurogrupo prevista para 13 de julho.

Dijsselbloem preside ao Eurogrupo desde 2013, tendo então sucedido ao agora presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, mas para ser reeleito terá que reunir mais apoios que o ministro espanhol da Economia, Luis de Guindos.