O Consórcio para a Defesa de Investidores do BES, vai avançar, ainda este ano, com uma providência cautelar que pede o arresto de bens do membros do Conselho de Administração do Banco de Portugal: “Já foram dadas instruções para iniciar esse procedimento”, diz Miguel Reis, um dos advogados que representa estes acionistas, ao DN.

Recorde-se que o grupo, que engloba pouco mais de cem pequenos acionistas, já avançou com uma providência cautelar, no Tribunal da Comarca de Lisboa, que pede o arresto de todos os bens de todos do BES.

A alegada providência cautelar que pede o arrestos dos bens de Carlos Costa, governador do Banco de Portugal (BdP) e dos restantes membros do Conselho de Administração, deverá avançar nos próximos meses. O objetivo é responsabilizar diretamente pela medida de resolução tomada há um ano, que dividiu o BES em banco mau e em banco bom – e que deu origem ao Novo Banco.