Conflito na Ucrânia

Merkel, Hollande e Putin planeiam cimeira sobre Ucrânia “nas próximas semanas”

Chefes de Estado falaram pelo telefone onde fizeram ponto da situação sobre aplicação das medidas acordadas em Minsk. Nova cimeira sobre crise Ucrânia/Rússia deve ser planeada "nas próximas semanas".

Getty Images

Angela Merkel, François Hollande e Vladimir Putin falaram este sábado por telefone e consideram “útil” a realização “nas próximas semanas” de uma cimeira dedicada à situação na Ucrânia, segundo a presidência francesa.

A chanceler alemã e os chefes de Estado francês e russo fizeram “um ponto da situação sobre a aplicação das medidas adotadas (no acordo de paz) em Minsk” em fevereiro, anunciou a presidência francesa num comunicado. “Reafirmaram o seu compromisso em relação ao ‘formato Normandia’ (envolvendo Merkel, Hollande, Putin e o presidente ucraniano) e ao processo que tem sido possível apenas devido aos contactos regulares neste contexto”, indicou o Eliseu.

Uma reunião de François Hollande e Angela Merkel com o presidente ucraniano, Petro Poroshenko, na segunda-feira em Bruxelas, sem Putin, tinha suscitado interrogações sobre a razão da sua ausência, após um aumento da violência no leste separatista pró-russo da Ucrânia.

Prova de que o diálogo entre os vários dignitários prossegue para tentar acabar com a violência, Merkel, Putin e Hollande indicaram hoje “que uma nova cimeira no ‘formato Normadia’ poderá ser útil nas próximas semanas”, segundo o mesmo comunicado.

Os três dirigentes “apoiam fortemente o apelo lançado para um cessar-fogo completo a partir de 1 de setembro, semana do regresso às aulas”, adianta a presidência. Também “evocaram a preparação das eleições na Ucrânia”, escrutínio que consideram “um passo importante na aplicação das medidas de Minsk”.

Os acordos de paz de Minsk 2, assinados em fevereiro, prevêem a realização de eleições locais na zona do conflito ucraniano antes do final de 2015, em conformidade com a lei ucraniana e as normas internacionais.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Ucrânia

Mais umas eleições falsas em Donbas

Inna Ohnivets

A Rússia não quis a paz em 2014 e não quer em 2018. A realização destas eleições fraudulentas é um sinal claro de que a Rússia optou por prolongar o conflito durante mais anos sob o mesmo cenário. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)