Angela Merkel, François Hollande e Vladimir Putin falaram este sábado por telefone e consideram “útil” a realização “nas próximas semanas” de uma cimeira dedicada à situação na Ucrânia, segundo a presidência francesa.

A chanceler alemã e os chefes de Estado francês e russo fizeram “um ponto da situação sobre a aplicação das medidas adotadas (no acordo de paz) em Minsk” em fevereiro, anunciou a presidência francesa num comunicado. “Reafirmaram o seu compromisso em relação ao ‘formato Normandia’ (envolvendo Merkel, Hollande, Putin e o presidente ucraniano) e ao processo que tem sido possível apenas devido aos contactos regulares neste contexto”, indicou o Eliseu.

Uma reunião de François Hollande e Angela Merkel com o presidente ucraniano, Petro Poroshenko, na segunda-feira em Bruxelas, sem Putin, tinha suscitado interrogações sobre a razão da sua ausência, após um aumento da violência no leste separatista pró-russo da Ucrânia.

Prova de que o diálogo entre os vários dignitários prossegue para tentar acabar com a violência, Merkel, Putin e Hollande indicaram hoje “que uma nova cimeira no ‘formato Normadia’ poderá ser útil nas próximas semanas”, segundo o mesmo comunicado.

Os três dirigentes “apoiam fortemente o apelo lançado para um cessar-fogo completo a partir de 1 de setembro, semana do regresso às aulas”, adianta a presidência. Também “evocaram a preparação das eleições na Ucrânia”, escrutínio que consideram “um passo importante na aplicação das medidas de Minsk”.

Os acordos de paz de Minsk 2, assinados em fevereiro, prevêem a realização de eleições locais na zona do conflito ucraniano antes do final de 2015, em conformidade com a lei ucraniana e as normas internacionais.