A mundialmente famosa fabricante de blocos de construção deitou abaixo a concorrência e tornou-se na maior produtora de brinquedos do mundo em termos de receita no primeiro semestre este ano. Miúdos – e muitos graúdos também – preferem os blocos coloridos e as infinitas possibilidades de brincadeira a outro tipo de brinquedos. Os resultados de longo prazo indicam que a Lego registou um crescimento bem superior ao das rivais americanas Hasbro e Mattel.

A empresa da Dinamarca já tinha alcançado o mesmo feito no semestre homólogo, mas no segundo semestre de 2014 a Mattel voltou à dianteira nos resultados. Mas neste primeiro semestre de 2015, os blocos da lego voltaram a derrubar a liderança da fabricante da boneca Barbie. Pelo caminho já tinha ficado a Hasbro, fabricante de brinquedos como os Transformers e My Little Pony.

Os bons resultados do semestre devem-se, em parte ao lançamento de novas séries temáticas: a lançada na sequência da estreia mundial do filme Mundo Jurássico, e das séries animadas Elves: Unite The Magic  e Ninjago: Masters of Spinjitzu.

Resta saber se a Lego conseguirá manter o ritmo de crescimento e continuar a ser mais rentável do que as suas principais rivais. A sua próxima aposta, a Lego Dimensions, vai ser lançada já este mês. Com este lançamento a empresa vai tentar entrar no mundo dos videojogos, uma aposta que se pode revelar arriscada: o modelo de negócio implica a compra de figuras físicas que desbloqueiam novos níveis e personagens no jogo.

Fazendo fé nos bons resultados alcançados pelas séries temáticas anteriores, espera-se que a próxima a ser lançada, em simultâneo com o próximo filme da saga Star Wars, lá para o Natal, também seja um sucesso.