Rádio Observador

Vinho

Vai-se o calor, fica o vinho. Esta é a agenda vinícola que tem de guardar

242

Festas em jardins de hotéis, jantares vínicos, palestras, provas e vindimas. Nos próximos dias há muito que fazer no mundo dos vinhos, pelo que selecionámos seis propostas que deve marcar na agenda.

Andreia Reisinho Costa

Por estes dias dão-se os últimos mergulhos no mar e apanham-se os últimos raios de sol. É verdade que a época balnear está mais perto do fim, mas se há coisa sem calendário é o vinho. E como este é o mês das vindimas, o que não falta são propostas para saborear o néctar, seja ele de que região for — dos socalcos do Douro à Península de Setúbal. Entre festas, feiras e provas, selecionámos seis eventos para que diga adeus ao verão com um pouco mais de sabor. Porque ninguém gosta de despedidas amargas.

10 de setembro —  Port wine day

Alerta, amantes do Porto (da cidade e do vinho). Se a 10 de setembro de 1756 era criada a primeira região demarcada e regulamentada do mundo, o Douro Vinhateiro, mais de 250 anos depois celebra-se o Dia do Vinho do Porto. O evento promovido pelo Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto I.P (IVDP) aposta num conjunto de atividades onde a bebida em destaque é rainha. E dessa realeza nascem propostas de relevo: caso esteja pela Invicta no dia 10, passe pelo seminário internacional na Alfândega do Porto, onde se discute o passado e o futuro da região vinhateira. É por ali que também acontece uma masterclass onde são dados a provar vinhos da década de 1970. A homenagem ao néctar licoroso prolonga-se até 13 de setembro, com diferentes lojas, bares, restaurantes (jantares vínicos incluídos), caves e museus a abrirem as portas à bebida que elevou a fama de Portugal no mundo.

Vinum_3

O restaurante VINUM Restaurant & Wine Bar associou-se à celebração do Port Wine Day e criou um menu temático que pode ser degustado até dia 30 de setembro (mais informações em www.vinumatgrahams.com).

Alguns eventos exigem inscrição prévia; pode consultar o programa completo aqui

10 de setembro — Bye Bye Summer WineParty

O nome diz (quase) tudo. A festa pretende despedir-se, com jeitinho, do verão — para trás ficam os dias de calor e as tardes infinitas passadas na praia. Mas se este é o adeus (prematuro) do sol, o mesmo não se pode dizer do vinho, que promete continuar a acompanhar a agenda dos portugueses. Tanto que, das 18h00 às 23h00 desta quinta-feira, acontece a segunda festa vínica no Lisboa Marriott Hotel, cujo destaque recai sobre os vinhos a representar praticamente todas as regiões do país — dos Vinhos Verdes ao Douro, Península de Setúbal, Lisboa e ainda Alentejo. Música, petiscos, passatempos, prémios, jogos temáticos e, claro, vinhos fazem parte do cardápio de sugestões num dia que será igualmente marcado pela moda, não fosse o estilo sair às ruas de Lisboa a mando da Vogue Fashion’s Night Out.

1a

A entrada tem um custo de 5 euros e contempla a oferta do copo que dá acesso à prova de todos os vinhos presentes no evento. Os petiscos, a cargo do chef António Alexandre, terão um custo de também 5 euros por porção. 

12 / 19 de setembro — Vindimas na Adega de Fernão Pó e na Quinta do Gradil

Estamos praticamente a meio de setembro, o mês que mais depressa é associado à época das vindimas. E caso ainda exista vontade de conhecer o processo, há duas propostas que prometem encher as medidas aos enófilos. A 12 de setembro, pelas 09h30, o ponto de encontro remete para a Adega de Fernão Pó, na margem do rio oposta à capital (a 40 minutos de distância de Lisboa). O convite implica passar um dia inteiro com o enólogo, acompanhá-lo desde os campos verdejantes e repletos de vinha — por aqui, a vindima é mecânica — até à adega onde o mostro é trabalhado. Um pouco mais longe de Lisboa, a Quinta do Gradil abre as portas a todo o curioso com vontade de pôr as mãos na massa. Depois de amadurecidas as uvas, cabe aos visitantes colhê-las e pisá-las. O programa inclui ainda o almoço no restaurante da quinta e uma prova de vinhos ao final do dia.

fernao po

Imagem retirada da página de Facebook da Adega Fernão Pó

Adega de Fernão Pó: 25 euros por pessoa (12 euros para crianças dos quatro aos 12 anos), reservas disponíveis até 10 de setembro através dos números 265 995 423 / 919 312 525 / 917 641 181 e do email: enoturismo@fernaopo.pt.

Quinta do Gradil: 60 euros + IVA por pessoa, para um mínimo de oito participantes e um máximo de 30 (917 791 974 / 262 770 000).

19 e 20 de setembro — Feira do Douro

Há muito que se ouve falar dos Douro Boys, o conjunto de produtores emblemáticos que ajudou (ainda mais) a colocar a respetiva região no mapa vinhateiro. O mesmo não se pode dizer da Feira do Douro, uma iniciativa associada ao grupo que vê, pela primeira vez, a luz do dia. A festa a ocupar a Quinta do Vallado quer, então, celebrar a riqueza gastronómica do que por ali cresce e é cultivado/produzido. Não é por acaso que na feira vão marcar presença mais de 20 produtores do que é regional e bom — desde os habituais queijos artesanais às salsichas picantes durienses, passando pelos pastéis de ovos. Ao todo são dois dias de festa numa das margens do rio, com vista permanente para os socalcos que compõem uma paisagem sem igual. O vinho, esse, leva os rótulos dos projetos que dão a cara pelos Douro Boys — Quinta do Crasto, Quinta do Vallado, Quinta Vale Meão, Quinta Vale D. Maria e Niepoort. A proposta que agora ganha raízes já está de olhos postos no futuro, com os produtores a ambicionarem fazer da feira um evento anual e em plena época das vindimas.

The perfect weekend getaway ?

A photo posted by Quinta do Vallado (@quintadovallado) on

19 de setembro, das 15h00 às 20h00, e 20 de setembro, das 11hoo às 18h00. A entrada fica a 10 euros por dia e por pessoa; inclui a oferta de um copo de prova da marca Riedel. 

16 e 17 de outubro — Grande prova Mediterrânica de Azeites e Vinhos do Alentejo

Nove mil e 500 pessoas não podem estar erradas. Foi esse o número de visitantes que apuraram o paladar na sexta edição do evento em 2014. A grande prova, naturalmente dedicada aos azeites e vinhos do Alentejo, regressa em outubro ao mesmo local onde já antes foi feliz (como quem diz Centro Cultural de Belém, em Lisboa). Ainda há pouca informação disponível, mas o formato não deve alterar muito daquele que fez sucesso no ano passado, o qual contou com a presença de 40 azeites e mais de 400 néctares oriundos das vinhas alentejanas, perfazendo um total de 94 produtores envolvidos. À imagem e semelhança de iniciativas do género, a proposta é estimular o contacto direito entre quem cultiva, apanha e pisa a uva e aqueles que a bebem em estado líquido.

30 de outubro a 2 de novembro – Encontro com o Vinho e Sabores

Já lá vão 15 edições e milhares de vinhos provados. À semelhança do evento anterior, pouco está confirmado sobre o Encontro com o Vinho e Sabores, no entanto, o ponto de encontro é o mesmo de ano passado — o Centro de Congressos de Lisboa (antiga FIL) vai voltar a abrir as suas portas para receber os milhares de visitantes que, a julgar pelas edições anteriores, não vão perder a oportunidade de percorrer, copo a copo, as diferentes regiões vinícolas do país. Dito isto, aquela que já é considerada a maior prova de vinhos (e sabores) realizada no país, diz a Revista de Vinhos, vai contar com um serviço de entrega em casa dos vinhos adquiridos na feira, funcionalidade assegurada pela garrafeira online Vinha.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)