Uma mulher vietnamita foi detida em Maputo na posse de 14 peças de objetos feitos de cornos de rinoceronte, 59 garras de leão e 49 peças que se suspeita serem dentes deste predador, informou hoje a polícia moçambicana.

Em conferência de imprensa, o porta-voz do Comando da Polícia da República de Moçambique (PRM) na cidade de Maputo, Orlando Mudumane, afirmou que a mulher foi detida no Aeroporto Internacional de Maputo, quanto tentava embarcar para o Vietname, na semana passada.

“Neste momento, decorrem investigações visando apurar a proveniência destas peças”, declarou Mudumane.

Dados recentemente avançados pelas autoridades moçambicanas referem que 434 pessoas foram detidas por alegada caça furtiva desde o ano passado, tendo sido apreendidos 75 quilos de cornos de rinoceronte, no mesmo período.

Relatórios internacionais e locais descrevem Moçambique como um dos pontos de passagem de marfim e cornos de rinoceronte extraídos de animais abatidos no parque sul-africano de Kruger, um dos maiores do mundo.

As peças de animais abatidos no Kruger, onde moçambicanos são mortos ou presos por envolvimento na caça furtiva, são destinados ao mercado asiático, onde algumas pessoas acreditam nas qualidades terapêuticas de pontas de marfim e cornos de rinoceronte, além do seu uso cosmético.