A Agência Federal de Veículos a Motor (KBA, sigla em alemão) anunciou nesta quarta-feira ter detetado em vários fabricantes valores de emissões de gases com efeito de estufa acima do permitido, numa investigação lançada após o escândalo Volkswagen.

“Com base nos dados brutos, comprovou-se até agora, em parte, altos níveis de NOx [óxido de azoto] em diferentes condições de condução e de ambiente”, afirma a KBA em comunicado divulgado, mas sem especificar as marcas ou modelos que não cumprem as regras.

As autoridades alemãs estão agora em conversações com fabricantes de veículos afetados por esses resultados, para avaliá-los, adiantou a mesma fonte, acrescentando que, após a conclusão desta fase de consulta, deveriam procurar-se “consequências legais”.

A KBA começou no final de setembro uma avaliação geral a veículos, após o escândalo de manipulação de dados de emissões da Volkswagen na sequência de uma denúncia da Agência de Proteção Ambiental (EPA) norte-americana.

A agência propôs, então, analisar mais de 50 modelos diferentes dos principais fabricantes alemães – Volkswagen, BMW, Daimler – e outras marcas estrangeiras, como Ford, Alfa Romeo, Dacia, Hyundai e Mazda. Também foram testadas marcas como a Opel e a Mercedes. Os carros testados vão desde citadinos como os Smart ForTwo até carrinhas como a Volkswagen Crafter, diz a Bloomberg.

Analistas do setor automóvel estimam que a Volkswagen poderá acabar por suportar um custo total de 35 mil milhões de euros para recuperar desta crise, entre multas, processos judiciais, impostos, e correção dos motores em causa.

No fim de semana, o jornal alemão Bild fez uma descrição da cultura que se vivia na Volkswagen e que terá levado à falsificação dos dados. Leia aqui.