O líder do Ciudadanos, Albert Rivera, rejeitou este domingo as críticas de que não tem experiência governativa, ironizando que lhe “falta experiência” a criar desemprego, a enviar contas falsificadas a Bruxelas ou a construir aeroportos que ficam vazios.

Uma onda “laranja” – a cor do Ciudadanos – invadiu hoje o Palacio de Vistalegre, em Madrid, para o ato central de campanha do partido, um comício que juntou mais de 10 mil pessoas, segundo a organização. Entre gritos de “Já se nota, já se sente, Albert é presidente”, o líder do Ciudadanos – partido que tem vindo a subir nas sondagens e é atualmente o segundo em intenções de voto – recusou “o medo” como forma de gerir Espanha e preferiu falar em esperança.

“Medo vão ter os que vão perder as suas cadeiras, os do Senado, os dos cargos de confiança”, disse Rivera, entre aplausos dos milhares de apoiantes – que o interrompiam constantemente – acrescentando que sim, tem medo, mas de que “Espanha seja conformista” ou “governada por conformistas”.

“Se ganharmos a 20 de dezembro, vamos dar estabilidade a este país, porque os velhos [partidos, PP e PSOE] querem que tudo fique igual e outros [Podemos] querem mudanças para pior”, disse Rivera.

Numa referência velada ao Podemos – que tem ligações políticas ao Syriza e cujos líderes têm ligações económicas ao regime ‘Chavista’ e de Nicolas Maduro – Rivera disse que Espanha não pode encarar o seu futuro a olhar para a Grécia nem para a Venezuela.

Rivera, catalão de Barcelona, afirmou ainda que não governará com quem quer “romper” a unidade de Espanha, numa referência aos partidos que fizeram acordos com partidos regionalistas de cariz independentista (como o PSOE e o Podemos) e sublinhou que não aceitará um referendo sobre a independência da Catalunha.

O presidente do Ciudadanos também rejeitou as críticas de Mariano Rajoy (PP), que o acusou de ser demasiado inexperiente para liderar um Governo. “Também diziam que Obama não tinha experiência para governar os Estados Unidos. Também diziam que Justin Trudeau era demasiado novo para governar o Canadá”, disse Rivera.

“Sim, não temos experiência como Rajoy a esvaziar as pensões, não temos experiência em construir aeroportos que ficam vazios, em enviar contas falsas e falsificadas à União Europeia, ou como Zapatero (PSOE) a fazer subir o desemprego”, contrapôs Rivera.

Ainda antes de Rivera, a líder do Ciudadanos na Catalunha, Inés Arrimadas, sublinhou o papel do partido na oposição aos desejos soberanistas de vários partidos catalães. “Hoje, graças ao Ciudadanos, o separatismo na Catalunha está debilitado e dividido”, realçou Arrimadas, sublinhando que, tal como teve êxito na Catalunha, o partido também vai governar em toda a Espanha.