Presidenciais 2016

PS lembra que PSD de Marcelo votou contra Lei de Bases do Serviço Nacional de Saúde

8.989

Deputado socialista acusa candidato presidencial de "tentar falsificar a História", ao dizer que defendeu desde o primeiro minuto o Estado social. Polémica está instalada.

EDUARDO COSTA/LUSA

Depois do candidato presidencial Marcelo Rebelo de Sousa ter dito que sempre apoiou o Estado Social e votou a favor da Constituição de 1976 que o defende, o PS veio lembrar que o partido que já foi presidido por aquele político, o PSD, votou contra a Lei de Bases do Serviço Nacional de Saúde em 1979.

marcelo

A votação deste diploma foi recuperado pelo deputado socialista Filipe Neto Brandão que fez um post no Facebook sobre o assunto, partilhado por outros socialistas.

“Marcelo Rebelo de Sousa a propósito das críticas que agora lhe foram dirigidas por ter, até há meses, apoiado os cortes no SNS, invoca perante as câmaras das televisões ter já uma idade considerável e que, desde o início, sempre ele e o seu partido apoiaram o SNS. Admitindo que dita senectude de Marcelo Rebelo de Sousa ainda lhe não tolde a memória, a questão será mesmo de falta de pudor: é que o projecto de lei que deu lugar à lei 56/79 – e que criou o SNS – teve os votos contra do PSD e do resto da direita. Marcelo até pode estar arrependido do gesto, mas isso não lhe dá o direito de tentar falsificar a História…”, escreveu, lembrando que esse diploma teve três proponentes: António Arnaut, Mário Soares e Salgado Zenha.

Marcelo Rebelo de Sousa disse este domingo que a Saúde é uma das suas prioridades e que sempre teve essa posição desde que foi deputado à Constituinte. “O Estado Social é para mim, desde sempre, uma prioridade. Não se esqueça que eu votei a Constituição. Uma das preocupações como constituinte era a construção de um Estado Social”.

*Artigo atualizado às 22h50

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crónica

Portugal, país-slime /premium

Helena Matos
364

Estão a ver aquela massa viscosa com que as crianças se entretêm? O slime, claro. Portugal está a tornar-se num país-slime, onde os valores são moldados a gosto e a responsabilidade não  existe.

Política

Podemos falar de coisas sérias?

Salvador Furtado

Outubro já não está assim tão distante, e o governo sabe isso. Mas o assunto da maior carga fiscal de sempre? E o da corrupção? E o de sermos um dos países com um dos piores crescimentos da zona euro?

Ambiente

A onda verde na UE e os nacionalismos

Inês Pina

Se hoje reduzíssemos as emissões de CO2 a zero já não impedíamos a subida de dois graus centígrados. E estes “míseros” dois graus vão conduzir ao fim das calotas polares e à subida do nível do mar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)