Depois do candidato presidencial Marcelo Rebelo de Sousa ter dito que sempre apoiou o Estado Social e votou a favor da Constituição de 1976 que o defende, o PS veio lembrar que o partido que já foi presidido por aquele político, o PSD, votou contra a Lei de Bases do Serviço Nacional de Saúde em 1979.

marcelo

A votação deste diploma foi recuperado pelo deputado socialista Filipe Neto Brandão que fez um post no Facebook sobre o assunto, partilhado por outros socialistas.

“Marcelo Rebelo de Sousa a propósito das críticas que agora lhe foram dirigidas por ter, até há meses, apoiado os cortes no SNS, invoca perante as câmaras das televisões ter já uma idade considerável e que, desde o início, sempre ele e o seu partido apoiaram o SNS. Admitindo que dita senectude de Marcelo Rebelo de Sousa ainda lhe não tolde a memória, a questão será mesmo de falta de pudor: é que o projecto de lei que deu lugar à lei 56/79 – e que criou o SNS – teve os votos contra do PSD e do resto da direita. Marcelo até pode estar arrependido do gesto, mas isso não lhe dá o direito de tentar falsificar a História…”, escreveu, lembrando que esse diploma teve três proponentes: António Arnaut, Mário Soares e Salgado Zenha.

Marcelo Rebelo de Sousa disse este domingo que a Saúde é uma das suas prioridades e que sempre teve essa posição desde que foi deputado à Constituinte. “O Estado Social é para mim, desde sempre, uma prioridade. Não se esqueça que eu votei a Constituição. Uma das preocupações como constituinte era a construção de um Estado Social”.

*Artigo atualizado às 22h50