Rádio Observador

Hospital de São José

Ministério da Saúde cria grupo de trabalho para repensar as urgências de Lisboa

O Ministério da Saúde criou um grupo de trabalho "destinado a avaliar os constrangimentos existentes", que vai procurar "soluções para as disfunções identificadas" nas urgências da Grande Lisboa.

MAFALDA LEITAO / LUSA

O ministério da Saúde anunciou a criação de Grupo Coordenador da Urgência Médica de Lisboa (UML) com vista a “avaliar os constrangimentos existentes” nos hospitais da Grande Lisboa. Os trabalhos “iniciar-se-ão de imediato”, escreve o ministério num comunicado enviado às redações, onde também se lê que as medidas encontradas vão começar a ser aplicadas a partir de 1 de fevereiro de 2016. Será dada “prioridade às especialidades em que se verificam maiores dificuldades”.

O grupo vai ser liderado pelos diretores clínicos dos cinco maiores centros hospitalares da Área Metropolitana de Lisboa, pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, IP e pelo Coordenador Nacional para a Reforma do Serviço Nacional de Saúde.

“A especificidade diagnóstica e terapêutica de determinadas situações clínicas bem como o seu caráter urgente impõem a necessidade de encontrar um novo modelo de organização da atividade no âmbito do Serviço Nacional de Saúde que permita uma assistência eficaz, atempada e de elevada qualidade”, diz o mesmo comunicado.

No mesmo documento, é dito que os casos que necessitam de neurocirurgia (como os que têm vindo a ser noticiados desde a semana passada) são “situações e patologias relativamente pouco frequentes” e que “condicionam uma procura por cuidados de saúde relativamente baixa”. Decorrente disso, é reconhecido que “o número de profissionais de saúde com competência para a sua abordagem é relativamente reduzido”.

Por fim, o comunicado explica que o Grupo Coordenador da UML está “destinado a avaliar os constrangimentos existentes e a [preparar] as soluções para as disfunções identificadas”.

Esta medida surge na sequência da polémica da morte de um doente por falta de médicos para o operarem no Hospital de S. José.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jadias@observador.pt
Hospital de São José

Misérias e grandezas /premium

Laurinda Alves
691

Aqueles corredores [de São José] são habitados por pessoas desfiguradas por acidentes e doenças. À primeira vista é tudo muito feio, mas olhando com atenção conseguimos ver muita beleza.

Hospitais

Hospital de São José em Agosto

Jaime Nogueira Pinto
1.572

Esquecendo os meus males naquela tarde de Agosto pensei no privilégio de ali estar em São José, onde a presença do Bem se ia impondo no meio do mal, onde a caridade e a eficácia superavam tudo o resto

Política

A sobrevivência do socialismo /premium

André Abrantes Amaral

O socialismo é a protecção de um sector contra os que ficam de fora. O desejo de ordem e a desresponsabilização é natural entre os que querem segurança a todo o custo.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)