Firas Alshater é sírio, realizador de cinema — chegou a ser perseguido pelo que indiscretamente a sua lente foi gravando –, e deixou a Damasco natal, devastada pela Guerra Civil, há dois anos e meio. E só escapou, para Berlim, na Alemanha, porque teve a ajuda de amigos, alemães e não só, sobretudo cineastas, escapando à sorte (ou má-sorte) de parte dos refugiados sírios, como ele, que atravessam hoje o Mediterrâneo todos os dias.

Chegado a Berlim, Firas Alshater pediu asilo, aprendeu a língua, a cultura, e é mais um berlinense entre berlinenses.

Agora, ambientado, resolveu-se a criar um canal de Youtube onde partilhará uma espécie de tutoriais para refugiados (sírio, eritreus, todos; a Alemanha acolheu 1,1 milhões de pessoas nesta situação em 2015), feito por um deles, onde lhes explicará quem são os alemães e o que esperar do país e das gentes. 

É precisamente essa a premissa do primeiro episódio da série Zukar: “Como são os alemães?” Para demonstrar que, embora “precisem do seu tempo”, os alemães vão acolher os refugiados de braços abertos, literalmente de braços abertos, Firas Alshater foi para a centro da praça Alexanderplatz, precisamente em Berlim, e, vendado, pediu abraços a quem passa. A experiência de Firas tornou-se viral entre alemães no Youtube.