476kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Espanhóis preferem um governo de coligação com Ciudadanos

Este artigo tem mais de 5 anos

Uma sondagem realizada para o El País refere que mais de 50% dos espanhóis prefere um governo de coligação entre PSOE e Ciudadanos. Em último lugar nas escolhas ficou o Podemos de Pablo Iglésias.

A sondagem foi realizada a 3 e 4 de fevereiro a 1.000 espanhóis com mais de 18 anos
i

A sondagem foi realizada a 3 e 4 de fevereiro a 1.000 espanhóis com mais de 18 anos

Pablo Blazquez Dominguez

A sondagem foi realizada a 3 e 4 de fevereiro a 1.000 espanhóis com mais de 18 anos

Pablo Blazquez Dominguez

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Uma sondagem realizada pela Metroscopia para o El País refere que a maioria dos espanhóis prefere que Pedro Sánchez, do PSOE, forme governo com o Ciudadanos, liderado por Albert Rivera. O inquérito, realizado entre 3 e 4 de fevereiro, teve início um dia depois de o rei Filipe VI ter proposto ao secretário-geral do PSOE que tentasse formar governo, uma vez que os socialistas se recusam a viabilizar um executivo do Partido Popular (PP).

Aos 1.000 inquiridos foi proposto que avaliassem cinco possibilidades de governo lideradas por Sánchez. Mais de 50% admitiu preferir um governo de coligação PSOE e Ciudadanos, seguido de um executivo composto exclusivamente por socialistas (43%). Com 43% das preferências, ficou também um governo de coligação.

Cerca de 40% dos inquiridos admitiu ainda a integração do PP no próximo governo, juntamente com o PSOE e o Ciudadanos. Em último lugar ficou a possibilidade dos socialistas se unirem ao Podemos de Pablo Iglesias e ao Unidad Popular (37%), algo que poderá mesmo nunca vir a acontecer.

Na sexta-feira, Sánchez rejeitou a proposta de Iglesias de uma “negociação única e exclusiva” com o Podemos, insistindo que irá manter um diálogo “amplo” com todas os partidos espanhóis, incluindo o Ciudadanos, que o secretário-geral do Podemos tentou que fosse descartado das negociações.

No que diz respeito à atuação do rei Filipe IV, mais de 70% dos inquiridos classificou-a como “boa” durante todo o processo de investidura e apenas 17% como “má”. Em relação à proposta de formação de governo dirigida a Pedro Sánchez, 72% dos espanhóis considerou-a “boa” e 17% “má”. Uma pequena percentagem de 8% classificou-a “nem boa nem má”. 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.