O antigo líder da organização terrorista Al Qaeda, Osama Bin Laden, deixou uma carta escrita ao povo norte-americano para que este ajudasse o Presidente dos EUA, Barack Obama, a combater os efeitos “catastróficos” das alterações climáticas e a “salvar a Humanidade“. 

A carta, que não tem data, foi apreendida em maio de 2011, durante o raide ao local em que Bin Laden estava escondido, no Paquistão. O seu conteúdo, agora divulgado pelas autoridades norte-americanas, é descrito pela agência Reuters e acredita-se que a missiva terá sido escrita em 2009, logo após Obama tomar posse como Presidente dos EUA.

Bin Laden, que se dirigia “ao povo americano”, pedia “uma grande revolução pela liberdade” que libertasse o Presidente dos EUA da influência do que o líder da Al Qaeda identificava como os lóbis empresariais poderosos.

“Só isso permitirá a Obama tomar uma decisão racional no sentido de salvar a Humanidade dos gases tóxicos que ameaçam o seu destino”.

Segundo a Reuters, num outro documento encontrado, Osama Bin Laden pedia a um ajudante que o 10º aniversário dos ataques terroristas do 11 de setembro (de 2001) fosse aproveitado para lançar uma campanha mediática de sensibilização para os riscos climáticos.

As preocupações ambientais de Osama Bin Laden já tinham ficado patentes noutros documentos apreendidos pelas forças especiais norte-americanas e, também, numa gravação audio divulgada pela Al Jazeera em 2010.