Um ataque aéreo levado a cabo pelas forças norte-americanas este domingo na Somália causou a morte de mais de 150 militantes do grupo jihadista al-Shabaab, avança a BBC. A ação militar teve como alvo um campo de treino a cerca de 190 quilómetros de Mogadíscio, capital da Somália, onde um ataque de “larga escala” contra os Estados Unidos da América e os seus aliados na África Ocidental estava a ser preparado. 

“Sabíamos que eles iam abandonar o campo e que representavam uma ameaça eminente às forças norte-americanas e da União Africana”, disse Jeff Davis, porta-voz do Departamento da Defesa dos Estados Unidos da América. “As avaliações iniciais indicam que mais de 150 terroristas foram eliminados.”

De acordo com o New York Times, os jihadistas foram bombardeados durante o que se acredita ser uma cerimónia de graduação. “Eles estavam no exterior em formação”, disse ao jornal um oficial do exército norte-americano. 

A al-Shabaab, um grupo jihadista com ligações à al-Qaeda, foi expulsa de Mogadíscio pelas forças da União Africana em 2011. Desde então, tem lançado repetidos ataques contra a capital e o governo somali