A autópsia a 13 cachalotes demonstrou o efeito que os resíduos humanos podem ter na vida animal marinha. Os mamíferos foram encontrados na costa de uma cidade alemã.

O plástico que os seres humanos descartam para o mar acaba muitas vezes nas bocas e estômagos dos animais marinhos, resultando muitas vezes na morte destes, informa o Telegraph.

Entre os resíduos encontrados conta-se uma rede de 13 metros ou um pedaço de plástico com 70 centímetros pertencente a um carro. No entanto, não é de crer que os animais tenham morrido por envenenamento de plástico, mas sim devido à fome.

Robert Habeck, ministro do ambiente de Schleswig-Holstein, afirmou que por vezes os animais “consomem plástico e resíduos de plástico que lhes causam sofrimento e, no pior dos casos, fazem com que eles morram de fome embora tenham os estômagos cheios”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Uma publicação no Instagram mostra Robert Habeck a segurar a rede que foi encontrada dentro de um dos cachalotes.

Os cachalotes que deram à costa de Schleswig-Holstein — um dos estados federais da Alemanha — tinham entre 10 e 15 anos e pesavam à volta de 15 toneladas (um cachalote saudável pesa entre 32 e 41 toneladas).

Os especialistas suspeitam que, devido a tempestades no Oceano Atlântico, a fonte de comida dos cachalotes tenha migrado para o Mar do Norte, levando a que as baleias se tenham deslocado para essa rota. Chegados ao Mar do Norte, deverão ter-se encontrado em águas rasas e aí morreram à fome.

Em fevereiro deste ano, seis cachalotes deram à costa de Norfolk.