O 14.º Festival Internacional de Chocolate abre portas na quinta-feira, em Óbidos, numa edição que tem por tema a água e que, até 25 de abril, levará à vila chefs, bloggers e histórias doces à colherada.

Na edição que tem por temática a água, a Lagoa de Óbidos dá o mote para a exposição de esculturas, que este ano exibirá flamingos, peixes, bivalves, patos-reais e outros exemplares da biodiversidade daquele ecossistema, confecionadas com toneladas de chocolate.

Com ginja, aguardente da Lourinhã, café, frutas, camarão ou com pão, o chocolate vai “reinar” na vila, a partir de quinta-feira e até ao dia 25 de abril, período durante o qual funcionará de sexta-feira a domingo, com exceção do último fim de semana em que abrirá também no feriado de segunda-feira.

Aos mestres pasteleiros (responsáveis pelas esculturas, cursos, workshops e concursos que marcam o festival) juntam-se este ano bloggers, como Tiago Ferreira e Isa Nobre (Gramas com sabor), Lorenzo e Pedro ou Mafalda Agante (Há alguém mais gulosa do eu?), entre outros, que partilharão com o público algumas das suas criações.

Quanto aos espetáculos, Nelson Rodrigues apresenta “Chocolate e uma guitarra” e Henrique Guerra leva ao palco, diariamente, a peça “Histórias doces à colherada”.

O programa integra ainda lançamentos de especialidades como os macarons d’Óbidos, de livros sobre doçaria ou a exposição “Disclosure”, de João Francisco Vilhena, patente na Capela de S. Martinho.

Na reta final, o festival volta a mostrar modelos a desfilar vestidos com chocolate, mas as criações dos estilistas terão este ano a Lagoa de Óbidos como cenário para a passagem de modelos, que decorrerá no Bom Sucesso, na margem sul da lagoa.

O festival, que em 2015 ensaiou um modelo mais disperso, com as atividades espalhadas por toda a vila, volta este ano a concentrar-se na cerca do castelo, por onde a organização estima que passem cerca de 200 mil visitantes.

O festival é organizado pela empresa municipal Óbidos Criativa e tem um orçamento de 200 mil euros.

O preço do bilhete é de seis euros, a partir dos 12 anos, de três euros para crianças entre os seis e os 11 anos e gratuito para os habitantes do concelho.