Rádio Observador

Rating

Rabobank: Probabilidade de 30% de que DBRS baixe o “outlook” do “rating”

Rabobank não acredita que a agência DBRS corte o "rating" de Portugal na próxima semana. Mas há um risco de que a perspetiva ("outlook") seja cortada para "negativa".

LEX VAN LIESHOUT/AFP/Getty Images

O banco holandês Rabobank acredita que o rating da DBRS para Portugal vai continuar acima de lixo na próxima semana, ou seja, não haverá um corte. Para a revisão agendada para sexta-feira, dia 29, os analistas do banco holandês atribuem uma probabilidade de 30% a que o rating passe a ter uma perspetiva “negativa” — atualmente é “estável”.

“Globalmente, não acreditamos que a DBRS irá cortar o rating de Portugal”, diz o Rabobank numa nota enviada esta manhã aos clientes em que aponta que “o governo já indicou, explicitamente, que está a trabalhar com a agência para evitar que isso aconteça”.

O Rabobank assinala, contudo, que “há uma possibilidade — cerca de 30% — de que o outlook seja reduzido para negativo“. Isso poderia tornar mais provável que, no futuro, o rating em si pudesse cair. Porém, o Rabobank indica que “mesmo que a redução do outlook aconteça, a avaliação seguinte a Portugal pela DBRS só acontece a 21 de outubro, portanto o possível problema de um corte de rating desqualificar Portugal seria adiado por algum tempo”.

Olhando para os critérios que a agência DBRS já referiu, no passado, para decidir sobre o rating português, os analistas do banco holandês mostram alguma confiança de que não estarão reunidas as condições para que possa estar em perigo a única classificação acima de lixo que a dívida portuguesa tem.

O Rabobank nota que o governo adotou “um tom mais conciliatório” com a Comissão Europeia mas avisou que “avizinham-se negociações complicadas com a Comissão Europeia, já que tanto as projeções de crescimento como de défice orçamental parecem muito ambiciosas”. Além disso, o Rabobank assinala que o apoio da esquerda ao Partido Socialista tem parecido ser “sólido” mas “um agrupamento de partidos com visões tão distintas será sempre propenso a conflitos”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ecaetano@observador.pt
Crescimento Económico

Como vai o motor da nossa economia?

Luís Ribeiro

Estamos a viver “à sombra da bananeira” de uma alta imobiliária que alguns consideram já ser mais uma “bolha” do que um “boom”. É uma ilusão que se esfuma facilmente e é incapaz de arrastar a economia

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)