O parlamento grego aprovou este domingo a reforma fiscal e de pensões, proposta pelo Governo de Alexis Tsipras, no âmbito dos compromissos com os credores internacionais do país.

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, defendeu no parlamento que o sistema aprovado este domingo, na véspera da reunião do Eurogrupo, em Bruxelas, é “sustentável, sem afetar as pensões principais”, e prometeu que, para mais de dois milhões de reformados, não haverá um único euro de corte na pensão.

A legislação proposta pelo Governo grego compõe-se de reformas das pensões, dos impostos diretos e dos indiretos, que permitirão economizar 5.400 milhões de euros por ano, para conseguir em 2018 um superavit primário de 3,5% do produto interno bruto (PIB), como prevê o programa do terceiro resgate.

Os ministros das Finanças da zona euro (Eurogrupo) reúnem-se extraordinariamente na segunda-feira, em Bruxelas, e têm em agenda o novo pacote de medidas de austeridade na Grécia, definido no âmbito do terceiro resgate ao país.