A China lançou este sábado o seu primeiro “Longa Marcha-7”, um foguetão de nova geração, a partir da nova plataforma de lançamento de Wenchang, no sul do país, avançou a agência de notícias chinesa Xinhua.

O foguetão de dois andares, que deve tornar-se no principal veículo chinês de lançamento de satélites, pode colocar em órbita até 13,5 toneladas de carga útil, mais do que o equipamento anterior. “O sucesso do lançamento do ‘Longa Marcha-7’ vai reforçar as capacidades da China no espaço e dará ao país um grande impulso para vencer no espaço”, disse à agência noticiosa chinesa o desenhador-chefe do foguetão, Zhonghui Ma.

O módulo transportado pelo foguetão deve regressar à Terra no domingo depois de 13 órbitas, aterrando no deserto da Mongólia Interior.

O lançamento serviu também para inaugurar a nova plataforma de Wenchang, na província de Hainan. Concluída em 2014, esta é a quarta plataforma de lançamento chinesa. Pequim planeia usá-la ainda em 2016 para lançar o seu maior foguetão, o “Longa Marcha-5”, disse um funcionário do programa espacial.

A China enviou o seu primeiro homem para o espaço em 2003 e espera inaugurar sua própria estação espacial por volta de 2022, de acordo com a Xinhua. Pequim quer recuperar o atraso em relação aos Estados Unidos da América e à Europa, mas também à Índia. Em 2014, a China tornou-se no primeiro país asiático a chegar a Marte, colocando uma sonda na órbita do planeta vermelho.