Desde que a Turquia abateu um avião russo, em novembro de 2015, que Vladimir Putin e Recep Tayyip Erdogan não se falavam. Agora, dois dias depois de a Turquia ter pedido desculpa à Rússia pelo sucedido, Putin ligou a Erdogan, e os líderes concordaram em encontrar-se pessoalmente. O presidente russo ordenou, também, o levantamento das sanções contra a Turquia a nível turístico e a normalização das relações comerciais entre os dois países.

Apesar de a Turquia insistir que o avião russo foi avisado repetidamente de que devia sair do espaço aéreo turco, fonte do gabinete de Erdogan disse à BBC que há “passos necessários” a dar para corrigir a relação entre os dois países.

A mesma fonte disse que, “reiterando o seu compromisso para revigorar as relações bilaterais e combater o terrorismo juntos, os dois líderes concordaram em manter-se em contacto e encontrar-se em pessoa”.

No telefonema, Putin aproveitou para dar as condolências a Erdogan e ao povo turco pelo atentado terrorista ao aeroporto de Ataturk, em Istambul.

A Rússia impôs uma série de sanções à Turquia na altura, nomeadamente cortando as importações de bens alimentares da Turquia. Putin disse que as restrições só seriam levantadas quando a Rússia recebesse um pedido de desculpas.

A aeronave russa que foi abatida tinha estado no espaço aéreo turco durante apenas 17 segundos, e Putin acusou, na altura, Erdogan de colaborar com o Estado Islâmico.