Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Sabe que treinador levou o Benfica à vitória na Taça de Portugal, na época 1968/1969? Ou quantas vezes “o mítico defesa central” dos encarnados Albino venceu o Campeonato Nacional? Então convém ir ao Google, aos livros, talvez até ao Estádio da Luz, para uma visita guiada ao Museu Benfica — Cosme Damião. Porque vai precisar de uma boa enciclopédia mental para jogar o Penalty Quiz, um novo jogo multi-plataforma destinado aos fãs dos encarnados, lançado esta quarta-feira pela empresa portuguesa Hey Digital.

O jogo, que já está disponível nas versões Web, iOS e Android, tem algumas características singulares: os jogadores enfrentam outros jogadores, em partidas que vão além do modelo pergunta-resposta (que predomina na maioria dos quizes). Cada jogador faz de guarda-redes e de avançado, numa disputa por grandes penalidades. Para o primeiro marcar golos ao segundo, tem de acertar as respostas às perguntas que o jogo lhe coloca (são 50.000, pelo que o problema de lhe surgirem repetidas não se coloca). Só que isso não chega.

Acertar na resposta não garante o golo. Porque o adversário [guarda-redes] pode tentar adivinhar o lado. Isso faz parte do algoritmo que desenvolvemos: não basta só o conhecimento, é preciso enganar o guarda-redes adversário”, explica Lourenço Cunha Ferreira, sócio e diretor de novos negócios da Hey Digital. Já defender, depende do feeling dos jogadores: na escolha do lado para que se atiram, por exemplo.

Ou seja, acrescenta o responsável, também aqui “há mind games” — ou “jogos da mente”, como já traduziu o atual treinador do Benfica, Rui Vitória. O jogo pode ser jogado em modo carreira. “O utilizador cria um clube, dá-lhe um nome, fá-lo crescer e aumenta o status [estatuto] do clube”, explica Lourenço Cunha Ferreira. A isto somam-se “alguns add-ons [extras]”, como “chuteiras que aumentam a probabilidade de marcar golos” — a de Eusébio, por exemplo —, métodos para atrapalhar os adversários — como as famosas vuvuzelas — e “equipamentos bastante engraçados de anos passados”. Do Benfica, claro está. Pode-se ainda escolher, com o crédito concedido pelas boas campanhas, um dos “gigantes” que passaram pela baliza do Benfica para manter as suas redes invioladas: Manuel Bento, Michel Preud’homme e o mais recente Júllio César à cabeça.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

jcesar

O Penalty Quiz foi lançado pelo estúdio digital Hey Digital Ventures, que integra a Hey Digital, uma empresa portuguesa fundada em 2015 e que nasceu como “uma costela da Gema“, uma outra empresa nacional com dez anos de mercado, que atua nas áreas de novas tecnologias, ativação de marca, museologia, entre outras. As razões para os sócios da Gema terem fundado uma segunda empresa (que conta ainda com outros dois sócios individuais e sócios de mais duas empresas)? “Os muitos pedidos que estavam a receber para as áreas de web e redes sociais”, explica o responsável.

A Hey Digital divide-se em duas áreas: a área dos serviços digitais, que inclui por exemplo design, desenvolvimento de websites, gestão de budget [orçamentos] e criação de apps, e uma segunda área onde desenvolvemos projetos próprios, de criação e gestão de projetos digitais, como o Penalty Quiz”, resume.

No caso do Penalty Quiz, o jogo está em desenvolvimento “há mais de um ano”. A relação com o Benfica surgiu por iniciativa da Hey Digital. “Nós é que fomos ter com o Benfica e perguntámos se teriam interesse num sistema de revenue share [com lucros ou perdas partilhadas], em que eles davam a cara, a credibilidade e os contactos e nós dávamos o jogo e a gestão diária”, diz Lourenço Cunha Ferreira.

Fomos lá fazer o pitch [apresentação relâmpago] e eles gostaram muito da ideia. Depois foram eles que nos deram as condições, já estava tudo mais ou menos delineado do lado deles. O Benfica parece-me extremamente organizado, propuseram-nos as condições, negociámos duas ou três coisas e avançámos com o projeto”, conta o responsável da Hey Digital.

Daqui para a frente, o objetivo da empresa passa por “consolidar-se no mercado”. “Acabámos de arrancar e já temos um bom core de clientes. Ainda nenhum nos abandonou e estão satisfeitos com o nosso trabalho”, diz Lourenço. Na visão do responsável, que está “mais ligado às ventures“, um dos objetivos é “haver mais tempo e mais meios” para que a empresa se possa dedicar mais a essa área, para que que nasçam “novos produtos e parceiros”. Trocado por miúdos: para que surjam mais projetos como o Penalty Quiz, ligados a outros clubes ou empresas.