As autoridades de saúde de Hong Kong confirmaram esta quinta-feira o primeiro caso de infeção pelo vírus Zika, numa mulher de 38 anos que viajou recentemente para as Caraíbas.

Segundo o jornal South China Morning Post, a paciente encontra-se estável, numa ala de isolamento no United Christian Hospital, em Kwun Tong.

Segundo as autoridades de saúde, a mulher foi picada por mosquitos durante a sua viagem.

Na China continental foram registados, até agora, 22 casos de Zika importados – sete destas pessoas passaram por Hong Kong quando regressavam da América do Sul, indica o jornal.

Transmitido pelo mosquito ‘Aedes aegypti’, o Zika surgiu no Brasil há cerca de dois anos e desde então espalhou-se rapidamente pelo país e parte do hemisfério sul.

Até ao momento, o maior foco de preocupação assenta no perigo que o Zika representa para grávidas e fetos, dado que surge associado a problemas congénitos quando ocorre infeção na gravidez, nomeadamente a microcefalia e a síndrome Guillain-Barré, uma doença autoimune.