Em Amatrice, a terra ainda não parou de tremer. Às primeiras horas desta sexta-feira sentiu-se uma nova réplica naquela que foi uma das cidades mais afetadas pelo sismo de quarta-feira passada. Ao mesmo tempo, o número de mortos, feridos e desalojados continua a aumentar. Segundo a Proteção Civil italiana, morreram 278 pessoas até ao momento, 388 estão hospitalizadas com ferimentos e cerca de 2.500 estão sem casa.

O balanço de mortes agravou-se precisamente em Amatrice, onde se registaram pelo menos 218 vítimas mortais. As restantes pessoas morreram em Arquata del Tronto e Pescara del Tronto (49) e Accumoli (11), vilas também muito afetadas pelo abalo de 6,2 graus na escala de Richter que se deu na madrugada de quarta-feira.

Na zona, os sismos ainda não pararam. Às 6h28 desta sexta-feira sentiu-se uma réplica de 4,8 graus, uma das mais fortes das mais de mil que já houve desde o sismo. Na tarde de quinta-feira tinha-se já sentido um abalo de 4,3 graus que fez ruir prédios já afetados.

Os bombeiros e outros elementos da Proteção Civil conseguiram já resgatar 238 pessoas dos escombros, mas as esperanças de encontrar sobreviventes vão diminuindo à medida que o tempo passa.