A polícia francesa deteve este domingo um rapaz de 15 anos em Paris, suspeito de estar a preparar um ataque terrorista. De acordo com a AFP, o rapaz, que foi detido na zona oriental da capital francesa, já estava em prisão domiciliária desde abril, por suspeitas de ligação ao extremismo islâmico.

O plano do rapaz seria uma “resposta aos apelos da Síria para atacar França”, explicou fonte policial à agência. O jovem é suspeito de ter estado em contacto com Rachid Kassim, um elemento francês do Estado Islâmico que tem estado a emitir mensagens para possíveis extremistas em França, que possam atacar alvos no país.

As autoridades francesas têm investigado com especial atenção Rachid Kassim, que também terá estado em contacto com uma das mulheres que abandonaram um carro, na semana passada, com cinco botijas de gás no interior, perto da catedral de Notre Dame. O mesmo terrorista francês esteve ligado aos dois jovens que assassinaram o padre durante uma celebração, na igreja de Saint-Etiénne-du-Rouvray, na Normandia, em julho.

Também na sequência do incidente do carro em Notre Dame, foram detidas mais três pessoas, que estavam a planear outro atentado. Pelo menos uma delas também esteve em contacto com os jovens que executaram o padre Jacques Hamel em Saint-Etiénne-du-Rouvray.

De acordo com o primeiro-ministro francês, Manuel Valls, o país pode estar sob ameaça de, pelo menos, 15 mil extremistas nascidos em França — um número significativamente maior do que o anteriormente divulgado pelo governo, 10 mil. Valls explicou também que há pelo menos 700 jihadistas nascidos em França a lutar na Síria e no Iraque.

O ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, anunciou que a polícia francesa já deteve 293 pessoas este ano por ligações a redes terroristas. Desde janeiro de 2015, já morreram 238 pessoas em França, na sequência de ataques terroristas.