Governo

Portugal vende mais 12 F-16 à Força Aérea da Roménia

O Governo português está a analisar a viabilidade da venda de mais 12 caças F-16 à Força Aérea da Roménia, que receberá na quarta-feira os primeiros seis de 12 aviões contratualizados em 2013.

A venda dos 12 aparelhos representa um encaixe líquido de 78 milhões de euros de um total de 181 milhões, dos quais 163 milhões de euros já foram pagos ao Governo português

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

O Governo português está a analisar a viabilidade da venda de mais 12 caças F-16 à Força Aérea da Roménia, que receberá na quarta-feira os primeiros seis de 12 aviões contratualizados em 2013.

A cerimónia para a entrega oficial dos primeiros seis F-16 ao Governo romeno decorrerá na quarta-feira na Base Aérea de Monte Real, Leiria, com a participação do primeiro-ministro, António Costa, o ministro português da Defesa, Azeredo Lopes, e o seu homólogo romeno, Mihnea Ioan Motoc.

As aeronaves partem para solo romeno no dia seguinte, quinta-feira.

Contactado pela Lusa, o ministério da Defesa confirmou que:

A Roménia já fez um pedido para o fornecimento de mais 12 aviões, uma possibilidade que está a ser analisada para ver da viabilidade do projeto, que terá sempre de envolver três partes, Portugal, EUA [fabricante] e Roménia”.

A venda de 12 aeronaves de combate F-16 MLU (Mid-life upgrade) para equipar a Força Aérea romena foi oficializada em 2013 pelo anterior ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco.

Segundo uma nota do ministério da Defesa, as próximas três aeronaves serão entregues até ao final do ano e as restantes três, as que foram compradas por Portugal ao fabricante norte-americano e ainda estão em processo de atualização, em setembro de 2017.

O contrato contemplou a venda de 12 aparelhos – nove monolugares e três bi-lugares – representando um encaixe líquido de 78 milhões de euros (ME) de um total de 181 milhões, dos quais 163 ME já foram pagos ao Governo português.

A alienação de f-16 da FAP está prevista na lei de programação militar desde 2006, depois de no início da década Portugal ter decidido que não precisava, em termos operacionais e das exigências da missão, de nove das 39 aeronaves de que dispunha.

O programa inclui a formação e treino de cerca de 84 militares romenos, entre pilotos, técnicos e mecânicos entre 2014 e 2018, a preparação e modernização das aeronaves e o envio de uma equipa portuguesa de formação e suporte para apoiar a Força Aérea romena durante dois anos.

Em declarações à agência Lusa, o porta-voz da Força Aérea, Rui Roque, sublinhou que para a FAP, além da vertente do negócio, o programa de alienação dos 12 F-16 representou o reconhecimento internacional da capacidade portuguesa não só para transformar e atualizar as aeronaves mas também para dotar as equipas romenas das competências necessárias para as operar.

Num artigo publicado na mais recente edição da revista do ramo, “Mais Alto” (julho/agosto), o tenente-coronel Piloto Aviador João Rosa, responsável pela formação dos pilotos romenos, referiu que foram contabilizadas “mais de 50 mil horas de mão-de-obra empregues nas aeronaves” nos últimos três anos para dar resposta ao requerido pelo contrato e pelas operações.

Estas ações incluíram, entre outras, a preparação do apoio à Roménia, a preparação de armamento e motores e as questões legais ligadas à transferência de informação e equipamento classificado.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Europeias

Carta aberta a António Barreto

Ana Costa Rosado

Estranha-me muitíssimo que nunca tenha conhecido um cidadão europeu, mas proponho-me desde já e com todo o gosto resolver essa questão: Ana Rosado, cidadã europeia, muito prazer. Como tem passado?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)