Confrontos entre apoiantes e opositores do primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban, verificaram-se este domingo em Budapeste, capital húngara, suscitados pela comemoração do 60.º aniversário da revolta anti-soviética em 1956.

Cerca de 15 mil pessoas concentraram-se a propósito do aniversário em frente ao parlamento, onde foram recebidos por uma intervenção de Viktor Orban, vaiado e recebido por buzinadelas por várias centenas de opositores.

Como os opositores continuaram a fazer barulho durante o evento, onde se encontrava também o Presidente polaco, Andrzej Duda, houve confrontos entre os presentes.

O aniversário do levantamento falhado contra a invasão soviética do país, que levou à fuga de 200 mil húngaros, motivou críticas à atual posição do primeiro-ministro sobre os refugiados e a imigração.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No poder desde 2010, Viktor Orban, 53 anos, tem sido um dos maiores críticos da política de imigração da União Europeia.

Tem-se posicionado desde 2015 como um defensor da Hungria e da Europa contra a entrada de imigrantes muçulmanos e mandou construir cercas de arame farpado nas fronteiras do sul do país.