Depois de, no final de outubro, Mariano Rajoy ter conseguido tomar posse como novo presidente do Governo espanhol, uma sondagem divulgada este sábado ao final da tarde pelo diário espanhol El País mostra que — caso se repetissem agora as eleições — o partido do governo (o PP) e o Podemos (que ultrapassa o PSOE) seriam as únicas forças a crescer face aos resultados que obtiveram nas Legislativas de 26 de junho.

Os populares consolidam o primeiro lugar, conseguindo na sondagem (da empresa Metroscopia) quase mais três pontos percentuais do que nas Legislativas (“generales”, como lhes chamam os espanhóis) com 35,7%. Também o Unidos Podemos, partido da esquerda radical liderado por Pablo Inglesias, cresce dois pontos percentuais (para 23,1%). Mas faz mais do que isso: destrona o PSOE do segundo lugar. Os socialistas, que enfrentam uma crise que levou à queda do líder Pedro Sánchez, descem nesta sondagem quase cinco pontos percentuais face ao resultado obtido nas eleições de junho (conseguem apenas. O Ciudadanos mantém valores estáveis: Teve 13,1% em junho, agora 13%.

sondagem

Gráfico de intenções de voto atuais publicado pelo El País, que utiliza sondagem da empresa Metroscopia.

O PP continua, no entanto, a não ter resultados que permitam ter um governo maioritário (teria de ter cerca de 40%). Mariano Rajoy só conseguiu tomar posse, aliás, porque o PSOE (em processo de ebulição interna) o permitiu para não forçar novas eleições.