Caixa Geral de Depósitos

Maria Luís diz que Costa revela “grande ignorância” e teria dado “milhares de milhões” a Salgado

1.732

A ex-ministra utiliza palavras do governador do BdP para acusar primeiro-ministro de "grande ignorância" quanto à banca. Diz ainda que Costa teria dado "milhares de milhões" a Salgado no caso BES.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

A ex-ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, utilizou esta sexta-feira as declarações do governador do Banco de Portugal para dizer que as declarações de António Costa sobre a banca durante a governação PSD/CDS são “sinal de grande ignorância”. A vice-presidente do PSD, diz ainda que, se no lugar de Passos fosse Costa o primeiro-ministro, na altura da resolução do BES, “milhares de milhões de euros dos contribuintes teriam sido entregues ao dr. Ricardo Salgado“.

Maria Luís fez uma declaração na tarde desta sexta-feira no Parlamento porque entendeu que são de grande “gravidade e falsidade” as “acusações” que o primeiro-ministro fez ao PSD numa entrevista à agência Lusa. Para a vice-presidente da bancada do PSD “numa tentativa de justificar o injustificável comportamento do Governo relativamente à Caixa Geral de Depósitos acusou o Governo anterior de ter destruído o Banco Espírito Santo, de ter destruído o Banif e que — segundo o dr. António Costa — só a mudança de Governo impediu que houvesse mais destruição.”

As declarações do chefe de Governo levam a ex-ministra das Finanças “a concluir que fosse o dr. António Costa primeiro-ministro em 2014 e teriam sido entregues milhares de milhões de euros de dinheiro dos contribuintes ao dr. Ricardo Salgado para evitar o colapso do BES.”

Maria Luís quis ainda “remeter o dr.António Costa para as declarações do governador do Banco de Portugal proferidas ainda ontem, [onde] esclareceu que os problemas que ainda hoje colocam grandes desafios à banca nacional são problemas que tiveram a sua origem antes de 2011 e é ainda um legado desses tempos que pesa na banca nacional.” Ou seja: a culpa dos problemas da banca começaram, pelo menos, ainda no governo de Sócrates.

A antiga governante acrescenta ainda que “quem diz — isto são [também] palavras do senhor governador — que a política do sistema financeiro para a banca durante os anos do período de ajustamento foi um fracasso, isso é só um sinal de uma grande ignorância ou até de iliteracia.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rpantunes@observador.pt
Professores

A Justiça e os Professores

Arnaldo Santos

Justiça é dar a cada um aquilo que é seu e cada professor deu o seu trabalho no tempo de congelamento na expetativa de ter a respetiva retribuição relativa à progressão na carreira: o que é seu é seu.

IAVE

Errare humanum est… exceto para o IAVE!

Luís Filipe Santos

É grave tal atitude e incompreensível este silêncio do IAVE. Efetivamente, o que sempre se escreveu nos anos anteriores neste contexto foi o que consta na Informação-Prova de História A para 2018.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)