O Presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, evocou esta segunda-feira a memória do ex-líder parlamentar do PSD Silva Marques, falecido no domingo, recordando o “longo combate contra a ditadura” que este travou.

Quero expressar, à família de Silva Marques e ao PSD, os meus sentimentos. Silva Marques travou um longo combate contra a ditadura. Foi meu adversário político, mas um adversário respeitável e respeitado”, realçou Ferro Rodrigues, em mensagem de pesar endereçada à agência Lusa.

O ex-líder parlamentar do PSD Silva Marques morreu no domingo, aos 78 anos, disse à Lusa fonte partidária. José Augusto da Silva Marques nasceu a 07 de novembro de 1938, começou na política no PCP, foi dirigente comunista na clandestinidade e afastou-se do partido antes do 25 de Abril de 1974.

A sua experiência na clandestinidade inspirou um livro, “Relatos da clandestinidade — O PCP visto por dentro”, publicado em 1976, que, ao longo de mais de 300 páginas, contou como foi a sua adesão ao partido, o trabalho clandestino e, por fim, a rutura. Silva Marques foi, durante quatro anos, de 1976 a 1979, presidente da Câmara Municipal de Porto de Mós.

Aproximou-se do PSD e foi eleito deputado pelo círculo de Leiria, de 1980 a 1999 e desempenhou o cargo de presidente do grupo parlamentar dos sociais-democratas. O velório realiza-se, esta segunda-feira, na Basílica da Estrela, em Lisboa.