É um dos eventos desportivos do ano e joga-se este domingo, 5 de fevereiro. Todos os anos a Super Bowl é vista por cerca de 112 milhões de pessoas, o que faz com que as marcas lutem (e paguem) por um lugar no espetáculo. São 30 segundos por cinco milhões de dólares.

Foi em 1984 que a Apple decidiu “subir a fasquia” e criar um anúncio especialmente para o evento. As restantes marcas seguiram-lhe as pisadas e começaram a criar anúncios específicos só para o intervalo da Super Bowl. Alguns permanecem em segredo até o espetáculo começar, enquanto outros são partilhados dias antes na internet.

A TIME fez uma lista com os 25 anúncios mais influentes da história do evento. Quatro são da marca de cerveja Budweiser, que já partilhou na internet o anúncio preparado para este ano — a história de um dos seus fundadores, um imigrante que chegou sem nada aos EUA (é o primeiro anúncio deste ano que assume uma carga política).

Aqui ficam os 25, por ordem decrescente, segundo a avaliação da Time.

Snickers – “Betty White”

Em 2010 a marca de chocolate Snickers fez um anúncio com a atriz Betty White, vencedora de cinco prémios Emmy, a dizer o conhecido slogan da marca “Tu não és tu quanto tens fome”. A atriz de 88 anos aparecia a ser “placada” num jogo de futebol americano.

Budweiser – “Puppy Love”

Um dos anúncios mais adoráveis da Super Bowl e o mais conhecido de 2014. A história de “amor” entre um cãozinho golden retriever e um dos ícones da marca de cerveja, um cavalo Clydesdale. Este ano a marca de cerveja abandonou os animais fofinhos e decidiu marcar uma posição política.

Monster.com – “Kids”

O site de procura de emprego colocou, em 1999, um conjunto de crianças a falar sobre o que queriam ser quando fossem grandes, mas com um twist: elas falavam como adultos insatisfeitos com o seu trabalho. A pergunta final, escrita sobre um fundo preto era esta: “O que é que tu quiseste ser?”.

https://www.youtube.com/watch?v=I3AjdCkBJ_A

Chrysler – “Imported From Detroit”

O anúncio de 2011 celebra a cidade de Detroit, berço da indústria automóvel americana — capaz de competir com a Alemanha e Japão. Era o regresso da marca da carros depois de ter declarado falência.

Pepsi – “Delivery Guys”

A Pepsi arriscou tudo quando em 1996 decidiu mostrar a concorrente Coca-Cola na sua publicidade. Dois condutores de camiões de distribuição das duas marcas encontram-se e o homem da Coca-Cola a caba a querer beber a Pepsi. A partir desse momento, foram muitas as marcas que passaram a incorporar os seus rivais diretos nos anúncios (como a Apple, “Mac vs. PC”).

https://www.youtube.com/watch?v=R_eJxHWpSZY

Doritos – “Live the Flavor”

O anúncio da marca de nachos tornou-se, em 2007, o primeiro da Super Bowl a ser criado pelos consumidores. Desta forma a marca poupou custos com a contratação de uma agência de publicidade, ao mesmo tempo que envolveu os seus consumidores. Chamou-se “Crash the Super Bowl”.

Beyoncé – “Formation World Tour”

No ano passado a atuação de Beyoncé no intervalo da Super Bowl ofuscou os convidados principais — os Coldplay. Não satisfeita, a cantora foi a primeira a aproveitar o intervalo do jogo para anunciar a sua tour mundial.

Chrysler Feat. Clint Eastwood – “Halftime in America”

Mais um anúncio da Chrysler, em 2012. Os Estados Unidos ainda estavam na ressaca da grande crise de 2008 e a marca colocou o ator e realizador Clint Eastwood a falar sobre o estado da nação, que também estava “em tempo de intervalo”, mas com uma mensagem de esperança no futuro.

NO MORE – “Listen”

O movimento “NO MORE” apresentou, em 2015, o primeiro anúncio da Super Bowl relacionado com a violência doméstica e a agressão sexual. O anúncio apresenta uma chamada real para o número de emergência 911 (o nosso 112). A National Football League financiou o anúncio depois da polémica que envolveu o jogador Ray Rice, dos Baltimore Ravens, que terá agredido a noiva.

Pets.com – “Please Don’t Go”

Em 2000 a empresa que vendia cães online apresentou um anúncio que fez as delícias de todos e que juntou o icónico fantoche de um cão — a imagem de marca da empresa — com uma montagem de animais tristes. Hoje este anúncio representa a forma descontrolada como muitas empresas online foram geridas. A pets.com viria a fechar um ano mais tarde. Este anúncio custou-lhes 1, 2 milhões de dólares.

Nike – “Michael Jordan & Bugs Bunny”

Ohhhh, quem não se lembra deste? Michael “Air” Jordan e Bugs Bunny juntos num anúncio da Nike.

E*Trade – “Wasted”

“Bom, acabámos de gastar dois milhões. E você? O que faz com o seu dinheiro?” No ano 2000 a E*Trade decidiu pôr o dedo na ferida com as quantias astronómicas de dinheiro que as marcas gastam para aparecerem no intervalo do Super Bowl. Mesmo que o anúncio fosse um macaco a dançar.

Always – “Like a Girl”

O que é isso de “correr como uma menina, ou de “lançar como uma menina” ou de “lutar como uma menina”? Este anúncio da Always de 2015 tinha um propósito: desfazer preconceitos de que as mulheres não são tão boas no desporto como os homens. O slogan era “reescreve as regras”.

Pepsi – “Britney Spears”

Às vezes não é preciso grande imaginação, basta ter dinheiro. E assim se junta a Pepsi à maior estrela pop de 2001. Junta-se uma música que fica no ouvido e grava-se um videoclip. Easy, boy…

Budweiser — “Budweiser Frogs”

Dois sapos dizem as palavras “Bud” e “weiser” enquanto olham para um bar com o nome da marca de cerveja.

Noxzema – “Farrah Fawcett and Joe Namath”

Bom, estávamos em 1973 e isto era do melhor que havia. A atriz Farrah Fawcett passava creme de barbear na cara do lendário quarteback dos New York Jets, Joe Namath. Noxzema, era o estranho nome da marca.

Old Spice – “The Man Your Man Could Smell Like”

Passamos do creme de barbear para a Old Spice num não menos estranho anúncio, este de 2010. É difícil de descrever mas mete casas de banho, um barco, diamantes e um gel de banho que nasce de um punhado de diamantes. Bom, o melhor é ver.

Pepsi – “Cindy Crawford”

1992. A era das super modelos e a mais super delas todas era Cindy Crawford. Este anúncio da Pepsi faz 25 anos. E aqueles calções de ganga estão de novo na moda…

Budweiser – “Respect”

Tinham passado poucos meses do ataque às Torres Gémeas em Nova Iorque e a Budweiser decidiu fazer um anúncio de tributo às vítimas do 11 de Setembro. “Respect”.

Volkswagen – “The Force”

Este anúncio da Volkswagen foi tão partilhado que já ninguém se lembra que foi feito para o intervalo da Super Bowl. O pequeno Darth Vader correu mundo: este é o o anúncio mais partilhado de sempre da Super Bowl e o segundo anúncio mais partilhado de sempre.

Budweiser – “Whassup?”

“Whassup?” “Whassuuuuuuuppppp?” “Whassuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuupppppp?” Budweiser, a marcar pontos desde…. desde que há Super Bowl.

https://www.youtube.com/watch?v=UDTZCgsZGeA

McDonald’s – “The Showdown”

“The Shotwdown” põe Michael Jordan e Larry Bird a lutar por um Big Mac. Os lançamentos tornam-se cada vez mais difíceis…

Coca Cola – “Hey Kid, Catch”

Bom, é sempre difícil resistir quando um miúdo aparece frente ao seu ídolo e o desarma. E é isto o anúncio da Coca Cola de 1980, que chegou a ser votado como o melhor de sempre da Super Bowl. Um ano depois a NBC tornou-o num filme para televisão: The Steeler and the Pittsburgh Kid.

Wendy’s – “Where’s the Beef?”

Muito pão, pouca carne. Não há direito. Em 1984, a cadeia de hambúrgueres Wendy’s pegou em três velhinhas, que parodiavam os hamburgueres da McDonalds e do Burger King: muito pão, pouca carne. E elas repetiam vezes sem conta: “Where’s the beef?”. A frase tornou-se tão celébre que foi usada pelo vice-presidente, da altura, Walter Mondale, para criticar as propostas do senador Gary Hart, durante as primárias do Partido Democrata.

Apple – “1984”

A Apple foi a primeira marca a criar um anúncio especialmente para o Super Bowl. Dirigido por Ridley Scott, baseado no livro 1984 de George Orwell que deu origem a um filme com o mesmo nome, anunciava o lançamento do Macintosh. E assim 1984 não ia ser nada como o 1984 de Orwell.