O primeiro-ministro anunciou, esta quarta-feira, que o Conselho de Ministros que se realizará no dia 21 de março vai aprovar o “pacote florestal”, conjunto de diplomas que constituirá as bases de uma reforma estrutural na floresta portuguesa. António Costa falava no encerramento da cerimónia que assinalou o “Dia da Proteção Civil”, tendo ao seu lado a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, num discurso em que também criticou a ausência de medidas de fundo para a floresta portuguesa nos últimos dez anos.

“É a hora de fazermos agora na floresta uma reforma com a dimensão da reforma que há dez anos se fez na proteção civil. Foi concluída a discussão pública e no Conselho de Ministros do próximo dia 21 será aprovado o pacote florestal que permitirá lançar as bases para arrancar com a reforma da floresta”, declarou o primeiro-ministro.

António Costa especificou depois que se tratará de uma reforma de “médio prazo”, cujos efeitos não serão imediatos, e deixou críticas ao passado recente em matéria de política florestal. “Infelizmente, estes últimos dez anos, não foram devidamente aproveitados”, disse.