Caso BES

Caso BES. Carlos Costa vai dar mais explicações ao Parlamento. Uma ou duas vezes

Parlamento vai ouvir explicações do governador sobre o BES, após reportagem da SIC que volta a questionar ação do Banco de Portugal. PCP já tinha pedido vinda de Carlos Costa que pode vir duas vezes.

JOÃO RELVAS/LUSA

A comissão parlamentar de orçamento e finanças aceita o pedido do governador do Banco de Portugal para prestar novos esclarecimentos sobre o caso BES, na sequência de uma reportagem da SIC que volta a levantar dúvidas sobre a atuação do supervisor no processo que conduziu à resolução do Banco Espírito Santo em 2014, No entanto, ainda não está decidido se este exercício de contraditório pedido por Carlos Costa terá honras de uma audição autónoma, como defende a presidente da comissão, Teresa Leal Coelho, ou se será integrado numa audição que já tinha sido pedida pelo grupo parlamentar do PCP.

Neste pedido, apresentado a 25 de janeiro, ou seja antes da data de transmissão da reportagem da SIC o PCP pede audições da ex-ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, e de Carlos Costa. Em causa está o esclarecimento várias matérias que resultaram da decisão de resolução do BES em 2014 e da solução que criou o Novo Banco, incluindo a venda desta instituição que está numa fase final e o impacto financeiro para os contribuintes. Daí o pedido de audição dos dois principais responsáveis políticos por esta solução.

Miguel Tiago do PCP invocou o requerimento para pedir que a audição pedida pelos comunistas seja marcada o quanto antes e da qual não abdica. O deputado admite permitir a Carlos Costa iniciar a audição com os esclarecimentos que pretende dar, na sequência da reportagem transmitida na semana passada pela SIC, intitulada Assalto ao Castelo. Teresa Leal Coelho remete contudo a decisão para a resposta do governador, considerando que os âmbitos são distintos. A decisão final deverá ser tomada esta quarta-feira, sendo que os deputados reconhecem a urgência de ouvir Carlos Costa, o que poderá acontecer ainda esta semana — na quinta ou na sexta-feira.

Na carta enviada esta semana à comissão parlamentar de orçamento e finanças, Carlos Costa assinala que a sua é responsabilidade como governador prestar contas e proteger a confiança do público na supervisão bancária. O governador diz ainda que pretende repor a verdade e esclarecer factos que foram transmitidos numa reportagem da SIC.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: asuspiro@observador.pt
Caso José Sócrates

Despoletar a bomba a tempo /premium

Manuel Villaverde Cabral
120

Tão importante como o caso lamentável de Manuel Pinho, foram as emissões televisivas dos interrogatórios de Sócrates que desencadearam os receios do PS quando o viram, por assim dizer, à solta

Caso José Sócrates

César pôs lama na ventoinha /premium

Filomena Martins
1.513

Quando tentou tornar o independente Manuel Pinho no cordeiro a sacrificar para não agitar os pecados do último Governo socialista, despertou todos os fantasmas desse passado vergonhoso da democracia.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Detalhes da assinatura

Acesso ilimitado a todos os artigos do Observador, na Web e nas Apps, até três dispositivos.

E tenha acesso a

  • Assinatura - Aceda aos dados da sua assinatura
  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Inicie a sessão

Ou registe-se

Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)