Um tiroteio numa escola na vila de Grasse, na zona da Riviera Francesa, provocou três feridos esta quinta-feira, confirmou o Ministério do Interior francês. Um aluno de 17 anos foi detido na sequência do tiroteio. O Le Figaro escreve que o jovem tinha na sua posse três armas de fogo e duas granadas.

O primeiro-ministro francês, Bernard Cazeneuve, e a ministra da Educação visitaram esta tarde o local, avança o mesmo jornal. Na sequência do tiroteio na escola Alexis de Tocqueville, foi ativado o alerta de atentado terrorista na região, mas entretanto já foi levantado. As autoridades passaram grande parte da manhã à procura de um segundo suspeito, segundo a Reuters, que cita uma fonte policial.

Segundo o procurador de Grasse, Fabienne Atzori, não há qualquer ligação a ataque terroristas devendo as motivações do autor dos disparos estar relacionadas com a má relação que o jovem tinha com os restantes alunos. “As motivações parecem estar ligadas às más relações que ele teria com os outros alunos”, disse o procurador, citado pelo Le Figaro.

“Nenhum elemento leva a crer que haja ligações a entidades terroristas”, acrescentou em conferência de imprensa, explicando que o jovem foi detido sem oferecer resistência, estando agora em prisão preventiva por tentativa de assassinato.

Num tweet partilhado pelo Ministério do Interior de França, lia-se que “um evento de segurança pública está em curso” e que naquele momento “a prioridade é a intervenção dos serviços de segurança e de socorro”. O ministério escreve ainda que informações futuras, mais completas, serão divulgadas posteriormente nas páginas de Internet do governo.

A Proteção Civil daquela região francesa pediu aos cidadãos para terem cuidado e evitarem a zona da escola. “Fiquem em casa”, lê-se num tweet partilhado esta manhã pela Proteção Civil.

Entretanto, o reitor da Académie de Nice, responsável pelos estabelecimentos educativos daquela região, já afirmou que os estudantes se encontram em segurança nas escolas de Grasse. Num tweet, Emmanuel Ethis agradeceu aos pais que não se desloquem à escola neste momento.

https://twitter.com/emmanuel_ethis/status/842355899985481730

O Le Figaro dá conta da identidade dos três feridos: trata-se de um adolescente de 16 anos chamado Julien, um outro de 17 anos, Akram, e ainda o diretor da escola. O jornal avança também que um estudante de 18 anos sofreu um choque emocional. São informações que foram confirmadas pelo porta-voz do Ministério do Interior, Pierre-Henry Brandet.

Desde os atentados de 13 de novembro de 2015, em Paris, que França está em estado de emergência.