Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A denúncia é do FC Porto: o Benfica entregará aos ‘seus’ comentadores televisivos um documento com indicações sobre os principais temas que devem referir nos programas semanais de televisão e rádio em que participam. Os responsáveis portistas chamam-lhe”cartilha” e incluirá as diretrizes e opiniões do próprio clube a todos os participantes em debates desportivos que são afetos aos encarnados.

A revelação foi feita no programa Universo Porto, transmitido pelo Porto Canal, pelo diretor de comunicação dos ‘dragões’ Francisco J. Marques, que mostrou um desses alegados documentos. Nele está explícito em que temas os comentadores têm de se centrar e quais as opiniões que têm de afirmar durante os programas. “Um tem 22 páginas, outro tem nove páginas, por isso é que falam com a mesma cartilha. Nos almoços é difícil acertar agulhas”, comentou entre várias considerações como, por exemplo, aquilo que o referido documento relatava a propósito do choque de Jonas e Nuno Espírito Santo no último clássico. “Só na cabeça de um louco é que se consegue entender que o Jonas sabia que ia ser empurrado pelo Felipe junto à linha, entrar em desequilíbrio e chocar contra o treinador do Porto, que estava na ponta contrária da área técnica à que normalmente costuma estar”. leu Francisco J. Marques.

O diretor de comunicação debruçou-se também sobre uma segunda parte subordinada ao tema “Sobre as queixas absurdas do Sporting Clube do Porto”. “Isto são sugestões de como se devem referir a Bruno de Carvalho. Por mim não falava mais desse senhor; não gostava nada de comentar mais nada desse senhor; comenta-se e esse senhor ainda vai atacar a dizer que estamos a falar mal dele; que fique claro que não quero dar mais para esse peditório; que fique claro que não tenho vontade de comentar nada sobre o presidente do Sporting; é mesmo necessário comentar mais uma vez o que disse esse senhor?; acham que vale a pena comentar e dar tempo de antena a esse senhor?; já toda a gente conhece esse senhor, para quê comentar?”, atirou.

“Tenho aqui os papéis que são, nem mais nem menos, o ‘briefing’ entregue aos comentadores do Benfica na televisão”, revelou Francisco J. Marques.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Questionado sobre quem é o autor do documento, o diretor de comunicação do FC Porto foi rápido em afirmar um nome: Carlos Janela (comentador de futebol na Benfica TV e na CMTV).

Este foi o exemplo mostrado:

Pode também conferir as declarações de Francisco J. Marques aqui em baixo. As declarações surgem a partir do minuto 50:

https://youtu.be/RYyM4wJDfag

A troca de acusações entre a comunicação dos dois clubes não é nova. Em outubro passado o jornal Record divulgou fotografias de um almoço que contou com a presença de alguns comentadores afetos ao Benfica, entre eles Pedro Guerra e João Gobern, o diretor de comunicação do Benfica, Luís Bernardo e o diretor do jornal ‘O Benfica’, José Nuno Martins. Perante a polémica, João Gorbern reagiu e garantiu que “não houve briefings, não houve diretivas, não houve sequer sugestões. Quanto ao suposto secretismo do almoço, devemos ser todos estúpidos, todos os sete presentes, porque entrámos às claras, sem disfarces, num restaurante do Estádio (da Luz), quase sempre bem frequentado (há exceções…) e muito, mas muito público”, pode ler-se na publicação citada pelo jornal.

Quem são os comentadores?

Para balizar e contextualizar toda esta polémica, convém dizer de quantos comentadores estamos a falar nos vários programas televisivos dos canais generalistas de cabo. Rui Gomes da Silva (Benfica), José Guilherme Aguiar (FC Porto) e Paulo Farinha Alves (Sporting) estão na SIC Notícias no programa “O Dia Seguinte”; Pedro Guerra (Benfica), Manuel Serrão (FC Porto) e José de Pina (Sporting) estão no “Prolongamento” da TVI24; João Gobern (Benfica), Miguel Guedes (FC Porto) e Rui Oliveira e Costa (Sporting) compõem o “Trio d’Ataque” na RTP3; André Ventura (Benfica), Nuno Encarnação (FC Porto) e Paulo Andrade (Sporting) no “Pé em Riste” da CM TV.

Existem depois outras figuras, sobretudo antigos jogadores, a comentar na SIC Notícias, no programa “Playoff”, como João Alves (Benfica), Rodolfo Reis (FC Porto) e Manuel Fernandes (Sporting), e na CM TV, casos de Calado (Benfica), Amaral (FC Porto), Fernando Mendes (Sporting) ou Paulo Futre, que curiosamente alinhou nos três clubes.

Curiosamente, Carlos Janela, antigo diretor de futebol do Belenenses e do Sporting que hoje se descreve como gestor de ativos, apresenta-se nos programas onde intervém, na BTV e na CM TV, como comentador independente.