Oficialmente, a Rússia vetou o projeto de resolução sobre a Síria no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas, esta quarta-feira bem como a Bolívia. A resolução visava pedir a cooperação do regime sírio numa investigação sobre o ataque químico de 4 de abril na cidade de Khan Cheikhun, no noroeste da Síria.

Guennadi Gatilov, vice-ministro dos Negócios Estrangeiros russo, já tinha antecipado o voto da Rússia no Conselho de Segurança da ONU. A Rússia vetou o novo projeto de resolução nas Nações Unidas sobre Síria.

“Este projeto é inaceitável na sua atual redação. Votaremos contra se os nossos parceiros não ouvirem os nossos apelos e insistirem em promovê-lo artificialmente com o único objetivo de obrigar a Rússia a recorrer a um novo veto”, justificou Guennadi Gatilov, à agência Interfax.

Este projeto de resolução foi impulsionado na terça-feira pelos Estados Unidos, Reino Unido e França. A resolução recebeu 10 votos a favor, três abstenções e dois contra, da Bolívia e da Rússia, que fez valer o seu direito de veto como membro permanente. Trata-se da oitava vez em que Moscovo bloqueia uma resolução sobre a Síria no Conselho de Segurança, desde o início da guerra na Síria. Em várias ocasiões, a sua postura foi apoiada pela China, que esta quarta-feira se absteve, tal como o Cazaquistão e a Etiópia.