Donald Trump falou esta quinta-feira numa conferência de imprensa conjunta com o primeiro-ministro italiano, Paolo Gentiloni. Minutos antes, à entrada para a conferência, Trump foi informado do tiroteio desta noite nos Campos Elísios, em Paris.

“As nossas condolências para o país e para o povo de França. É muito, muito terrível o que está a acontecer no mundo, mas parece outro ataque terrorista. O que é que se pode dizer? Isso nunca acaba. Temos que ser fortes e temos que estar vigilantes e eu tenho dito isto há muito tempo”, disse Donald Trump relativamente ao tiroteio desta noite de quinta-feira nos Campos Elísios.

Paris. Mensagem de apoio ao Estado Islâmico encontrada junto do corpo do atacante

Momentos antes, Donald Trump agradeceu ao primeiro-ministro pelo seu papel na luta contra o Estado Islâmico. “Todas as nações devem condenar este inimigo bárbaro”, refere Trump, apelando a um trabalho de equipa para a “destruição total e completa” do grupo terrorista.

Paolo Gentiloni também abordou as relações que estabelece com os EUA, realçando a quantidade de italianos que estão no país, entre os quais estudantes. “Estamos a passar por um momento difícil, mas tenho confiança de que a União Europeia continuará a ser uma resposta positiva nesta luta”, disse o primeiro ministro, acrescentando que acredita que a cimeira do G7 irá mostrar como os países estão unificados.

Donald Trump revelou estar ansioso por visitar Sicília na cimeira do G7, no próximo dia 26 e 27 de maio de 2017. O presidente dos Estados Unidos contou também que está grato por ir conhecer o papa.

O presidente dos Estados Unidos chamou novamente a atenção para o facto de o Irão não está a honrar o “espírito” do acordo nuclear assinado em 2015, considerando que o acordo “é péssimo e não devia ter sido assinado”.