O grupo parlamentar do PCP apresentou esta sexta-feira no Parlamento um projeto de resolução que recomenda ao Governo do PS a adoção de medidas enquadradas numa campanha nacional sobre vacinação, relacionada com o recente surto de sarampo.

Assegurar “o cumprimento do Programa Nacional de Vacinação em vigor a todas as crianças e jovens, dotando-o dos meios humanos, técnicos e financeiros adequados” e tomar “medidas de fundo para reduzir a dependência do exterior quanto ao fornecimento de vacinas, garantindo disponibilidade e previsibilidade dos ‘stocks'” são duas das medidas defendidas pelos comunistas.

O projeto de resolução do PCP prevê também a “vacinação de profissionais de saúde, bombeiros, professores e educadores e trabalhadores de escolas”, em “articulação com os serviços de segurança, higiene e saúde no trabalho”.

O texto dos comunistas defende ainda “ações de contacto de profissionais de saúde junto das famílias de crianças não vacinadas” para a sua sensibilização, além de “campanhas de informação, através dos meios de comunicação social, designadamente RTP e RDP, sobre as vantagens da vacinação”.

Vinte e cinco casos de sarampo foram confirmados este ano em Portugal, tendo a Direção-Geral da Saúde (DGS), recebido 114 notificações desde 1 de janeiro, segundo os últimos dados daquela entidade.

O balanço anterior, feito em 26 de abril, dava conta de 95 notificações de sarampo desde início do ano, e já tinham sido confirmados os 25 casos.

De acordo com a DGS, de 01 de janeiro até terça-feira, 2 de maio, foram notificados 114 casos e 25 foram confirmados, dois dos quais ainda em estudo laboratorial.