Os casos de dengue, Zika e chikungunya registados no Brasil caíram 89% nos quatro primeiros meses do ano relativamente ao mesmo período de 2016, segundo o boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde.

As três doenças têm as estatísticas divulgadas em conjunto porque são transmitidas pelo mesmo vetor, o mosquito ‘Aedes aegypti’. Na comparação entre 2017 e 2016, respetivamente, os casos de dengue diminuíram 91%, passando para 113.381 face aos 1.180.472 casos registados no ano passado. O número de mortes provocados pela dengue neste ano chegou a 17 contra as 507 em 2016.

Os casos de vírus Zika – que alarmaram o mundo após a doença ser associada ao aumento do número de recém-nascidos com microcefalia -, recuaram 95%, passando para 7.911 suspeitas de infeção ante 170.535 suspeitas reportadas no mesmo período do ano passado.

Já as infeções por febre chikungunya somaram 43.010 casos em 2017, menos 69% relativamente aos 135.030 registos oficiais de 2016. A febre chikungunya causou nove mortes neste ano. Em 2016, o governo brasileiro reportou que 196 pessoas morreram em consequência desta doença no país.