O ex-diretor da polícia federal norte-americana (FBI, na sigla em Inglês), James Comey, vai testemunhar em sessão pública da comissão senatorial das Informações, anunciou esta entidade na sexta-feira.

Comey foi demitido na semana passada pelo Presidente norte-americano, Donald Trump, numa altura em que estavam a ser investigados os contactos entre os EUA e a Rússia.

Donald Trump demite James Comey, diretor do FBI

A comissão senatorial está a investigar as alegadas relações entre a campanha eleitoral de Trump e os dirigentes russos. O vice-presidente da comissão Mark Warner considerou que o testemunho de Comey pode ajudar “a responder a algumas questões que foram levantadas desde o despedimento repentino de Comey pelo Presidente”.

James Comey pediu dinheiro para investigar ‘Russiangate’ dias antes de ser despedido

O testemunho, ainda sem data, vai ocorrer depois do feriado de 29 de maio, o Memorial Day, que homenageia os homens e mulheres que morreram no cumprimento do serviço militar norte-americano.

Segundo o New York Times, Donald Trump terá dito a oficiais russos que despedir Comey lhe retirou “uma enorme pressão”, acusando o ex-diretor do FBI de ser “maluco”. “Eu acabei de despedir o diretor do FBI. Ele era maluco, mesmo um tolinho”, terá afirmado o Presidente dos EUA, numa reunião na Sala Oval.

Trump disse aos russos que despedir “o maluco” Comey “retirou grande pressão” sobre si