O setor da distribuição criou mais de 9.700 postos de trabalho entre 2011 e 2015, ano em que o setor dava emprego a um total de 110.800 pessoas, de acordo com um estudo da APED divulgado esta quinta-feira.

Segundo o estudo “As nossas pessoas – um retrato social da distribuição” elaborado pela Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED), os mais de 9.700 empregos foram criados “num período marcado por um ciclo económico negativo”.

O estudo concluiu ainda que 72% dos colaboradores dos associados da APED tinham vínculo de efetivo no ano de 2015 e mais de metade se encontrava a trabalhar na mesma empresa há pelo menos cinco anos”.

O perfil do colaborador do setor da distribuição “tem vindo a alterar-se, tornando-se cada vez mais especializado e com maiores competências técnicas”, refere o estudo, adiantando que a aposta na formação “tem vindo a ser uma das prioridades das empresas associadas da APED que, em 2015, investiram 28 milhões de euros em formação profissional, um valor acima da média dos anteriores cinco anos”.

O investimento do setor da distribuição nos seus colaboradores “é uma das prioridades das empresas”, realçando a “importância para a construção de um setor que acrescente valor ao consumidor”, disse Ana Isabel Trigo Morais, diretora-geral da APED, citada em comunicado.