Rádio Observador

País

50 anos depois, Seixal e Barreiro voltarão a estar ligados por ponte pedonal

1.893

Seixal e do Barreiro vão assinar este domingo o protocolo para a construção da ponte pedonal entre os municípios, que deverá estar pronta em 2018. Mas os autarcas não desistiram da ponte rodoviária.

Seixal e Barreiro distam a 400 metros por água. Por estrada são 16 quilómetros

MÁRIO CRUZ/LUSA

Autor
  • Marlene Carriço

Passados quase 50 anos, e depois de muitas reivindicações, o Seixal e o Barreiro voltarão a estar ligados por uma ponte pedonal e ciclável. A assinatura de protocolo entre os dois municípios para construção da dita ponte terá lugar este domingo, dia 25 de junho, a bordo de uma embarcação tradicional (um varino batizado de Amoroso). E a ligação deverá estar concluída já no próximo ano.

A ligação será entre o terminal ferroviário do Barreiro e o núcleo urbano antigo do Seixal, passando perto do Centro de Estágios do Benfica. A extensão da obra será de 800 metros, sendo que a ponte propriamente dita terá aproximadamente 350 metros (sobre o Rio Coina) e, segundo a autarquia do Seixal, em comunicado, “irá aproveitar o espaço canal de uma antiga ponte ferroviária que fez, em anos longínquos, a ligação entre os dois concelhos”.

Projeto da futura ponte pedonal e ciclável que ligará Seixal e Barreiro (Créditos: CM Seixal)

Foi em 1969 que os dois municípios deixaram de estar ligados pela ponte ferroviária que então existia, depois de um navio que servia a Siderurgia Nacional ter chocado contra a mesma. Essa ponte nunca mais foi recuperada, pondo fim às viagens do comboio que lá circulava desde 1923.

Desde então, os meros 400 metros que separam Barreiro e Seixal por água, transformaram-se em 16 quilómetros por estrada.

A obra custará cerca de quatro milhões de euros, financiados a meias pelos dois municípios da margem sul do Tejo, que submeteram candidaturas a fundos europeus, para financiamento a 50%, inseridas no Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável da Área Metropolitana de Lisboa (PAMUS), programa que financia, apenas, investimentos relacionados com a mobilidade sustentável.

Em comunicado, a autarquia do Seixal salienta que “a construção desta ponte permitirá também o crescimento do turismo, pois assim poderá circular-se mais facilmente entre os dois municípios e usufruir das suas zonas ribeirinhas”.

Esta ponte é penas ciclável e pedonal, mas os autarcas do Seixal e Barreiro, em reunião este mês, anunciaram que vão pedir reunião ao ministro do Planeamento e das Infraestruturas para reivindicar a construção de uma ponte também rodoviária. Nessa ocasião lembraram que desde 1999 que está prevista no Plano Rodoviário 2000 a ER 10, uma estrada que ligaria Almada ao Seixal e Barreiro, mas que continua parada em Corroios.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)