A Comissão Europeia anunciou esta segunda-feira que a Bélgica, Holanda e Alemanha — países onde foram encontrados ovos contaminados com o inseticida fipronil — notificaram Reino Unido, França, Suécia e Suíça de que poderão ter importado ovos contaminados dos três países afetados ao longo dos últimos dias.

Não sabemos se os ovos estão contaminados ou não, mas, devido a estes alertas, as autoridades nacionais deverão agora verificar”, esclareceu Anna-Kaisa Itkonen, porta-voz da Comissão.

O ministério da Agricultura francês avança que dois estabelecimentos que fabricam produtos à base de ovos em França estão sob vigilância, garantindo no entanto que não há para já “informações de contaminação de ovos”. “As investigações serão feitas nos estabelecimentos pelos serviços de controlo do ministério da agricultura a fim de avaliar a situação (os produtos e o seu destino) e bloquear os produtos suspeitos para que sejam analisados”, avançou o ministério em comunicado.

O alerta da contaminação de ovos já levou à retirada de milhões de ovos das prateleiras de supermercados de países como a Alemanha, bem como ao fecho de vários aviários na Holanda. A 19 de Julho, o governo belga anunciou ter encontrado a presença do inseticida fipronil em ovos produzidos no país. Seguiram-se mais tarde a Holanda e a Alemanha, que identificaram níveis elevados de fipronil em alguns aviários.

A Federação de Agricultores holandeses garantiu esta segunda-feira que “para os consumidores, [o problema] está praticamente acabado”, mas realçou o impacto que o alerta terá ainda nos agricultores. “Vão ser precisas semanas, senão meses, para eles poderem retomar a produção”, declarou o responsável Johan Boonen. Ao todo, 150 aviários terão sido fechados na Holanda.