O homem mais velho do mundo, Yisrael Kristal, morreu esta sexta-feira em Israel, avançaram os meios de comunicação israelitas, citados pela BBC. Nasceu em 1903 e faria 114 daqui a um mês, a 15 de setembro.

Yisrael Kristal vivia em Haifa, uma cidade a norte de Israel, há mais de 60 anos, mas nasceu em Zarnow, na Polónia. Filho de judeus ortodoxos, após a invasão da Alemanha na Polónia, em 1939, o bairro da cidade polaca onde vivia foi transformado num gueto. Kristal acabou, em 1943, por ser transportado para o campo de concentração de Auschwitz-Birkenau. Foi resgatado pelos Aliados em maio de 1945, quase à beira da morte.

Era o homem mais velho do mundo e o único membro da sua família que sobreviveu ao Holocausto. A mulher e os dois filhos de Yisrael Kristal morreram no campo de concentração. Em 1950, emigrou para a cidade de Haifa em Israel com a sua segunda mulher e o filho desse casamento.

Yisrael Kristal celebrou no ano passado o seu Bar Mitzvah — uma cerimónia judaica de passagem à vida adulta que se celebra aos 13 anos — uma vez que tinha sido impedido pelas circunstâncias da Primeira Guerra Mundial de o fazer quando completou mesmo os 13 anos.

Kristal foi nomeado o homem mais velho do mundo, em março de 2016 pelo Guinness World Records — que já lamentou a morte do recordista e que já está à procura do seu sucessor.

O Guinness World Records está agora a consultar os nossos gerontologistas especializados para verificar potenciais sucessores do recorde do homem vivo mais velho do mundo e irá anunciar um novo titular assim que o processo esteja completo”, pode ler-se num artigo de Kristen Stephenson no site.

Yisrael Kristal conseguiu chegar a uma idade mais avançada do que a do seu antecessor, o japonês Yasutaro Koide, que morreu com 112 anos, em janeiro de 2016. Mas Kristal não conseguiu atingir a idade da mulher mais velha do mundo: Violet Brown, natural da Jamaica, que tem 117 anos.