O Papa Francisco saudou esta quarta-feira a equipa e dirigentes do clube brasileiro Chapecoense, que em novembro de 2016 sofreu um acidente de avião que vitimou quase todo o plantel, na audiência geral realizada na Praça de São Pedro, no Vaticano. Francisco abençoou no final da audiência o novo plantel da Chapecoense, bem como alguns familiares de dirigentes e futebolistas mortos na tragédia, bem como as fotografias que transportavam consigo.

A delegação, com cerca de 80 pessoas e que incluía dois dos jogadores sobreviventes — Jackson Follmann, que viu amputada parte da perna direita, e Alan Ruschel –, ofereceu ao Papa Francisco uma bola com as cores branco e verde do clube, após o que posou para uma fotografia. O acidente aéreo provocou a morte a 71 passageiros, entre jogadores, dirigentes, jornalistas, tripulação e convidados, e apenas seis, entre os quais três jogadores, sobreviveram à queda da aeronave.

No ano passado, os dirigentes do clube entregaram ao Papa uma camisola de clube com o número 71, o número de mortos na tragédia aérea, ocorrida quando a Chapecoense se deslocava para disputar a sua primeira final da Taça Sul-americana contra o Atlético Nacional. A equipa brasileira encontra-se em Itália para disputar um encontro de caráter particular com a Roma, na sexta-feira, inserido num périplo europeu da Chapecoense para angariar fundos para o clube.

Ponto da situação. O que se sabe sobre a tragédia do Chapecoense