O Benfica talvez ainda não tenha convencido os adeptos esta temporada. Isso é inegável.

A eliminação da Europa foi humilhante — e não ter conseguido qualquer ponto significa que aquela foi a pior participação de sempre de um clube nacional na Liga dos Campeões. A juntar a isso, e antes mesmo do final do ano, está igualmente eliminado da Taça de Portugal, restando campeonato e a Taça do Benfi… perdão, da Liga — que os “encarnados” venceram sete vezes em dez edições realizadas.

Mas a verdade é que, e olhando somente à Liga, o Benfica leva 37 golos marcados em 15 jornadas. Ou seja, é o melhor Benfica (pelo menos em concretização, claro) desde 2012/13.

Mas este Benfica é sobretudo concretizador após o intervalo ou no estádio da Luz. Este domingo chegou ao descanso a vencer 0-3 em Tondela. Foi a primeira vez esta temporada (em 13 jogos, somadas todas as provas) que conseguiu dois golos numa primeira parte fora de casa. A última vez que o conseguiu foi em outubro de 2015. Curiosamente, frente ao Tondela — mas a jogar em Aveiro. E venceria 0-4.

O Tondela perdeu todos os cinco jogos que disputou contra o Benfica. Aliás, nunca derrotou qualquer “grande”. Mas mais do que ver “fantasmas” em Bas Dost ou Aboubakar, vê-os em Jonas. Neste cinco jogos, e contabilizando já o deste domingo à noite, Jonas fez seis (!) golos aos tondelenses. E chegou ao 18.º na Liga, igualando Cavani (PSG) como o melhor goleador das principais ligas europeias.