Papa Francisco

Papa compara história de Natal às migrações da atualidade e deixa mensagem de esperança

363

O papa Francisco lembrou hoje, no Vaticano, a jornada de Maria e José quando chegaram a uma nova terra para o nascimento de Jesus, comparando-a às migrações da atualidade.

GIUSEPPE LAMI/EPA

O papa Francisco lembrou hoje, no Vaticano, a jornada de Maria e José quando chegaram a uma nova terra para o nascimento de Jesus, comparando-a às migrações da atualidade, muitas vezes em luta “pela sobrevivência”.

Na sua tradicional missa do galo, na basílica de São Pedro, o papa Francisco lembrou a “história simples” do nascimento de Jesus, que considerou uma “fonte de esperança” para a atualidade.

O chefe da Igreja Católica comparou a situação de José e Maria, que foram obrigados a deixar a sua terra, “mas cheios de esperança no futuro pelo filho que estava prestes a chegar”, relacionando esta história com a de milhares de pessoas que, hoje em dia, têm de deixar as suas localidades.

Falando perante perto de 10 mil pessoas, o papa assinalou que José e Maria “tiveram de enfrentar o mais difícil: chegar a Belém e integrar-se numa terra que não os esperava e onde não tinham lugar”.

Hoje em dia, “nós vemos famílias inteiras que são forçadas a abandonar as suas terras, milhões de pessoas que não escolhem sair, mas que são obrigadas a fazê-lo, deixando para trás os seus entes queridos”, salientou.

E observou que, em muitos casos, esta jornada “está cheia de esperança, focada no futuro, mas noutros apenas tem um nome, o da sobrevivência”.

Continuando a história sobre o nascimento de Jesus, Francisco vincou que “mesmo no meio da obscuridade de uma cidade, que não tem espaço nem lugar para um estrangeiro que vem de longe, no meio da obscuridade de uma cidade cheia de movimento, […] precisamente aí acende-se uma chama revolucionária através da ternura de Deus”.

E, tal como em Belém, gera-se “uma pequena expectativa para aqueles que tinham perdido a sua terra, a sua pátria, os seus sonhos, mesmo para aqueles que sucumbiram à asfixia”, afirmou.

Manifestando preocupação com a situação de migrantes por motivos económicos e de refugiados por situações de guerra, Francisco considerou ainda que “o Natal é momento para transformar o poder do medo no poder da caridade”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Demografia

Envelhecimento e crescimento económico /premium

Manuel Villaverde Cabral

Nada é mais importante para países como Portugal do que o imparável envelhecimento da população e as suas consequências a todos os níveis da sociedade, da saúde ao potencial de crescimento económico.

Crónica

Amorfo da mãe /premium

José Diogo Quintela

O Governo deve também permitir que, no dia seguinte ao trauma que é abandonar a criança no cárcere escolar, o progenitor vá trabalhar acompanhado pelo seu próprio progenitor. Caso precise de colinho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)