O sem-abrigo que foi considerado como um dos heróis do atentado em Manchester, em maio de 2017, assumiu ter roubado as vítimas do ataque, que fez 22 mortos.

Na altura do incidente, foi noticiado que Chris Parker teria ajudado várias pessoas — algumas delas feridas — a fugirem do local, tendo mesmo reconfortado uma jovem que estava gravemente ferida. As suas ações chegaram a gerar uma onda de solidariedade, que levou a angariação de quase 60 mil euros. No meio disto tudo, ainda reencontrou a mãe, que o reconheceu na televisão.

Mãe de sem-abrigo de Manchester encontra-o pela televisão

Esta quarta-feira, contudo, o jovem de 33 anos deu-se como culpado de dois crimes de roubo e um de fraude, lê-se no jornal inglês The Guardian.

Chris Parker roubou a carteira de Pauline Healey, uma das pessoas que ficou gravemente ferida e cuja neta, de 14 anos, morreu na sequência do ataque, e utilizou o seu cartão bancário no McDonald’s da cidade nos dias seguintes. O sem-abrigo admitiu ainda ter roubado o telemóvel de uma adolescente.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em tribunal, foram mostradas imagens das câmaras de videovigilância, em que se vê Parker a andar junto de pessoas feridas e a roubar a carteira de Pauline Healey, enquanto os paramédicos e a polícia estavam por perto a tentar reanimar outras vítimas.

O julgamento deveria ter começado na passada terça-feira, mas Parker não apareceu em tribunal. A polícia encontrou-o, na manhã desta quarta-feira, num loft em Halifax e levou-o para o tribunal. A sentença está agendada para dia 30 de janeiro e o juiz já avisou que muito provavelmente será condenado a uma pena de prisão. De ressalvar que o dinheiro que foi angariado não chegou a ser entregue a Chris Parker. Os responsáveis pelo site de crowdfunding, GoFundMe, referiram que os donativos iriam ser devolvidos.